Cinco dicas para emagrecer depois da gestação

19/04/2017 | atualizado em 20/04/2017 | Da Redação
Bem-estarBem-estar Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Estratégias alimentares e de relaxamento ajudam nessa missão

mulher medindo barriga após emagrecer depois da gestação

Ganhar peso durante a gravidez é um processo normal, porém muitas mulheres não conseguem emagrecer depois da gestação e voltar à forma física de antes.  Os motivos mais comum são a falta de tempo para se dedicar aos exercícios físicos e à dieta, o cansaço excessivo e o estresse devido às horas a menos de sono, além da adaptação à nova rotina. “Sem dúvida essa questão é um grande desafio para as novas mamães. Por um lado, há a vontade de voltar à forma rapidamente e, por outro, há a falta de tempo livre e até mesmo de autoestima, que pode ficar um pouco abalada na gravidez”, comenta Cris Senna, criadora do Desafio Vip 60, método simples e definitivo de queima de gordura corporal, de São Paulo (SP). Acompanhe abaixo as dicas da especialista para perder peso rapidamente, sem precisar sair de casa, com treino funcional e hábitos alimentares e comportamentais saudáveis.

Não deixe a correria sabotar sua alimentação | É verdade que a chegada de um bebê altera a dinâmica da casa e os hábitos da mãe e do casal, mas a rotina corrida não pode servir como desculpa para passar a comer sem nenhum critério. “Passar a ingerir lanches, comidas prontas ou, até mesmo, pular refeições alegando falta de tempo é um grande erro, pois abusar de alimentos industrializados e passar longos períodos sem comer deixa o metabolismo mais lento e leva ao ganho de peso”, comenta Cris. Por isso, fuja desse hábito. “Uma salada com grelhado ou uma sopa leve são opções de refeições rápidas, que não dão trabalho e ajudam a emagrecer”, aconselha.

Reserve 12 minutos por dia para se exercitar | Outro erro comum entre as mamães de bebês pequenos é abandonar a academia ou qualquer tipo de atividade física por não terem tempo de se dedicar aos treinos por uma ou duas horas todos os dias. Mas, ao contrário do que muitas acreditam, é possível manter a forma dedicando-se diariamente por um curto período: entre 12 a 18 minutos. “Para as que não se exercitavam antes e durante a gravidez, o indicado é iniciar com um circuito de exercícios mais leves, por 12 minutos, de três a quatro vezes por semana. Conforme o corpo se acostumar e ganhar resistência, poderá passar para treinos com maior gasto calórico e duração de 18 minutos. O importante é mexer o corpo”, explica.

Acelere o metabolismo com os sucos detox | Outro grande aliado das mães nesse processo são os sucos detox, que são diuréticos e ajudam a reduzir o inchaço ― que geralmente acomete as mulheres durante a gravidez. “Há inúmeras receitas de sucos que são simples, práticas de preparar e podem incluir frutas como o abacaxi, a melancia e o limão”, ensina Cris. Outra dica é incluir alimentos termogênicos na alimentação, como o gengibre e a canela. “Eles podem ser introduzidos com facilidade e são bons ‘truques’ para perder peso. O gengibre, por exemplo, pode ser colocado nos próprios sucos, em sopas ou para temperar carnes”, indica.

Xô estresse! | Já é comprovado cientificamente que o estresse contribui para o acúmulo de gordura corporal. “Pesquisas indicam que o estresse pode elevar a produção do hormônio cortisol pelo organismo, levando ao aumento do apetite e ao acúmulo de gordura na região abdominal”, comenta Cris. Por isso, use técnicas simples no seu dia a dia, que tomam pouco tempo e ajudam a combater esse mal, como meditar por cinco minutos, tomar uma xícara de chá ou aquele banho relaxante.

Cuide bem do seu bebê e de você também | Acima de tudo, segundo Cris, é importante não deixar de lado a autoestima e ter determinação e foco. “No final das contas, a boa forma será um resultado da combinação dos treinos, hábitos saudáveis e, também, do comprometimento com a perda de peso”, explica. Ou seja, não se esqueça de cuidar de si mesma, isso é muito importante. Caso não se sinta confortável com você ou com seu corpo, não terá a mesma energia para se dedicar aos cuidados com o bebê e à nova rotina. “O equilíbrio é a chave de tudo”, finaliza.