Malefícios do formol

05/07/2018 | Da Redação
Bem-estarBem-estar Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Especialista explica as desvantagens do uso da substância a longo prazo

mulher conversando com cabeleireira para ilustrar matéria sobre malefícios do formol

Nada melhor do que sair do salão com as madeixas brilhantes e bonitas. Entretanto, esse resultado pode ser efeito de produtos que, a longo prazo, podem causar sérios danos não só aos cabelos, mas à saúde. E o formol é um bom exemplo desse tipo de substância.

Considerado uma substância cancerígena pela Organização Mundial da Saúde (OMS), ele pode estimular a queda dos cabelos, além de gerar dermatites, desidratação e ulcerações no couro cabeludo. O uso prolongado pode ocasionar até mesmo câncer na boca, nas narinas, no pulmão, no sangue e na cabeça. É por isso que o uso com a função de alisante capilar, não é permitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“O produto com formol é fixado na fibra capilar, deixando os fios selados e com brilho. Contudo, por trás desse efeito ‘mágico’, danifica o cabelo e compromete sua estrutura, ou seja, promove o depósito de um filme rígido sobre os cabelos, fazendo com que os fios percam seu movimento natural. Como esse filme não possui flexibilidade, com o passar do tempo, os fios se tornam quebradiços e sem vida”, explica Carolina Carbonare Quintino, engenheira química da Itallian Hairtech, de São Paulo (SP).

Já existem no mercado produtos que têm como substituição ao formol substâncias legalizadas pela Anvisa, como hidróxidos de sódio, cálcio, guanidina, lítio ou potássio e tioglicolato de amônio. Para aquelas pessoas que já passaram pelo processo de alisamento com formol, Carolina explica que a regeneração dos fios é um processo longo, mas que vale a pena, tendo em vista a segurança e cuidados com a saúde.

“Com a impermeabilização causada pelo formol, os fios passam a não responder aos tratamentos de hidratação e nutrição. A recomendação é interromper imediatamente o uso desses produtos e, à medida que os cabelos forem crescendo, vale investir em produtos de qualidade, que proporcionem resistência, maleabilidade e vitalidade aos fios que estão fragilizados” explica.