Medo racional e irracional: conheça as diferenças

23/04/2017 | Da Redação
Bem-estarBem-estar Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Saiba como enfrentar esse sentimento e usá-lo a seu favor

Mulher com medo racional

O medo é um sentimento natural e comum, que é produzido pela percepção de um perigo presente ou iminente e deve ser apresentado em uma intensidade ideal, ou seja, nem pouco, nem de forma exagerada. Isso porque ao ignorar essa emoção é provável viver mais situações indesejadas e arriscadas e, o contrário – manifestar esse sentimento de forma irracional, quando a maior parte das pessoas não manifestam –, traz problemas para a qualidade de vida.

Mas, como diferenciar esses tipos de medo no comportamento diário? Como saber quando o medo protege e quanto prejudica? Eraldo Melo, psicólogo de Goiânia (GO), nos conta que o medo é uma emoção de adaptação psicológica que experimentamos desde o começo dos tempos, servindo para que o ser humano evoluísse e avançasse. O primeiro passo, para conseguir enfrentar o medo, está em identificar se é um medo racional ou irracional. “O medo racional surge quando o indivíduo está realmente em uma situação de perigo. Já o medo irracional é aquele que surge quando não há o que temer, como o medo do escuro”, explica.

O medo racional surge quando o indivíduo está realmente em uma situação de perigo já o irracional pode ser uma fobia ou transtorno psicológico

De acordo com o especialista, o medo racional pode ser resolvido apenas com medidas de precaução e cuidado. Enquanto o irracional requer uma análise profunda a respeito da essência do medo, já que pode ser uma fobia ou transtorno psicológico, tornando necessária uma consulta com o especialista. “É fundamental pensar no que está gerando o medo, pensar no passado, em ocasiões vividas, o que precisou enfrentar, qual foi o efeito disso. Identificar é primeiro passo para enfrentar a situação do medo”, conta.

E o primeiro passo precisa partir do indivíduo que sofre com a situação, uma vez que para confrontar o medo irracional é preciso colocá-lo a prova. A dica é encarar seu medo, pouco a pouco, alguns minutos até ir se acostumando à situação, repetindo esse teste até superá-lo por completo. Esse tipo de técnica recomenda-se que seja feito com o a supervisão de um psicólogo. “O medo pode ser um obstáculo crucial para o nosso crescimento, para podermos seguir em frente e, por isso, é importante aprender a enfrentá-lo. Se permitirmos que o medo nos pare, paralisamos, deixando que nossos objetivos muitas vezes escapem”, ressalta o psicólogo.