Os mitos sobre a dor nas costas

28/11/2017 | atualizado em 29/11/2017 | Da Redação
Bem-estarBem-estar Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Diferentemente do que se pensa, o repouso absoluto nem sempre é a melhor opção

mulher com dor nas costas

Sedentarismo, estresse, uso frequente de salto alto, calças muito apertadas e até mesmo permanecer sentada por muitas horas. A verdade é que a dor nas costas tem inúmeras causas e, na maioria das vezes, ela pode ser resolvida de forma bem simples. Para esclarecer algumas dúvidas sobre o assunto, Rodrigo Garcia, diretor clínico do Instituto RV, clínica multidisciplinar de São Paulo (SP), aponta alguns mitos. Veja só:

O melhor é fazer repouso?
Evitar atividades que agravem o problema pode realmente ajudar no alívio da dor, mas apenas de forma temporária. Isso porque já há evidências científicas que mostram a importância de se manter realizando as atividades diárias para melhor reabilitação.  Acamar-se ou ficar em repouso prolongado pode gerar mais dor e incapacidade. Este procedimento, claro, vale para a grande maioria dos casos, porém, na dúvida, a avaliação de um fisioterapeuta deve ser solicitada.

É caso de cirurgia?
Menos de 5% dos problemas de coluna são realmente casos de cirurgia. A grande maioria, 95% dos casos, são tratáveis e recuperáveis somente com fisioterapia.

Quanto mais dor, maior o problema?
Nem sempre a dor é sinal de gravidade. Quando se fala em coluna, pode até acontecer de duas pessoas, com o mesmo problema, terem reações diferentes: uma sente bastante dor, enquanto a outra não apresenta sintomas. Isso acontece porque diversos fatores contribuem para a dor, como a origem real do problema, estímulos externos, ansiedade, medo, nível de resistência física e afins.

Quem tem dor nas costas sempre terá?
“É preciso que o paciente passe por um bom processo de triagem, seja categorizado, e que se chegue à raiz do problema. A cura está no tratamento cada vez mais personalizado e individualizado – o que resolveria para um, não resolve para outro”, ressalta Rodrigo.