Mantenha sua pele saudável na estações mais frias

13/05/2017 | atualizado em 15/05/2017 | Da Redação
Bem-estarBem-estar Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Evite os erros comuns que danificam o órgão nos dias frios

mulher cuidando para ter uma pele saudável

A pele produz uma oleosidade natural, que serve para protegê-la de danos. Nos dias frios, a poluição, as baixas temperaturas e o tempo seco são características que influenciam nesse processo. “A pele produz menos oleosidade, o que causa ressecamento e a sensação de incômodo, principalmente na pele do rosto, que é a mais exposta ao vento e poluição”, explica Thais Pepe, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia, de São Paulo (SP).

De acordo com a especialista, quando não cuidada de maneira propícia, a pele reflete diretamente, ficando mais avermelhada e irritada, ressecada, pelo alto grau de poluição que há neste período, sendo necessários cuidados especiais. Para evitar alguns problemas e manter a pele saudável, selecionamos abaixo alguns erros básicos que devem ser evitados. Confira!

  1. Não passar protetor solar | O fotoprotetor é de uso diário, independentemente da estação. “A radiação ultravioleta, também no inverno, provoca danos que comprometem a estrutura de sustentação da pele, causando o aparecimento precoce de rugas e flacidez, além das manchas como reação à fotoexposição. A orientação é reaplicar o fotoprotetor de quatro em quatro horas em ambientes fechados e de duas em duas horas exposição direta. O filtro deve ter dióxido de titânio ou óxido de zinco na formulação: esses são bloqueadores físicos importantes”, explica.

O filtro deve ter dióxido de titânio ou óxido de zinco na formulação, pois são bloqueadores físicos importantes

  1. Esquecer os hidratantes e cremes reparadores | O ideal é buscar produtos cujos veículos sejam à base de Fosfolipídeos que formam uma segunda pele e protegem a pele de forma mais efetiva diminuindo a perda de água por evaporação. Com relação aos cremes reparadores, a médica diz que eles são fundamentais e podem ser usados à noite para evitar os danos ambientais como a poluição. “São substâncias antioxidantes com capacidade de reparo celular e que atuam contra os radicais livres”, comenta.
  1. Esquecer os pés, mãos e corpo | Hidratar essas regiões é fundamental. “No caso dos pés, passar o hidratante a base de fosfolipideos ou Nutriomega 3, 6, 7 e 9 e colocar uma meia de algodão ajuda a pele a absorver o produto mais facilmente. Nas mãos, invista nos ácidos hialurônicos. No corpo, a reposição lipídica deve ser eficiente, com opções como Dry Oil que tem na sua composição ésteres de karite e purcelin, que podem ser associados a outros óleos, restabelecendo a hidratação da pele”, indica a médica.
  1. Abusar dos retinóides | Para tratamento de acne, manchas e rejuvenescimento facial, os retinóides são excelentes opções — e geralmente são prescritos no inverno. “Mas eles devem ser usados com parcimônia e orientados por dermatologistas. Seu uso contínuo pode causar hipersensibilidade cutânea, vermelhidão e irritabilidade”, alerta a especialista. Dependendo da sensibilidade da pele, algumas substâncias podem ser usadas como alternativas naturais ao retinol, como Lanablue, que possui elevados índices de vitaminas do complexo B, além de aminoácidos e tem ação similar aos retinóides na diferenciação dos queratinócitos — suaviza linhas, rugas e densifica a epiderme.
  1. Tomar banhos muito quentes | Ficar mais de 15 minutos em uma ducha quente é mais que o suficiente para comprometer a camada hidrolipídica da pele, que garante a hidratação. “Dessa forma, a pele perde água e lipídeos, o que compromete sua função de barreira. O ideal é banho morno e logo após o banho hidratar a pele”, finaliza.