Cinco técnicas chinesas que aliviam as dores crônicas

12/10/2017 | Da Redação
Bem-estar Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Conheça os benefícios e ações de cada método

mulher fazendo acupuntura uma das técnicas chinesas que aliviam dores crônicas

Fibromialgia, artrites, lombalgias, cervicalgias… Esses são alguns exemplos de dores que persistem e se tornam crônicas, impactando profundamente na qualidade de vida. “As causas são variadas, e geralmente o tratamento medicamentoso frustra as expectativas de quem faz uso, pois além de proporcionar alívio temporário, normalmente traz efeitos colaterais após longos períodos de contato com a substância”, explica Murilo Caçador, acupunturista do W Spa, do Rio de Janeiro (RJ).

De acordo com o especialista, muitas pessoas chegam ao consultório do acupunturista, desesperadas e em grande sofrimento, tentando uma “última cartada” para se livrarem desses males. E, felizmente, muitas técnicas da medicina tradicional chinesa ajudam a controlar os incômodos, sem causar efeitos colaterais. Conheça os benefícios de alguns métodos, listados por Caçador.

Acupuntura | Tem importante efeito analgésico e anti-inflamatório, que é obtido por meio da inserção de agulhas em pontos específicos do corpo. Muitos pacientes evitam a acupuntura por medo da dor que as agulhas podem causar, no entanto, a sensação do paciente é de um leve desconforto.

Eletroacupuntura | Nesta técnica relativamente recente, a passagem de pulso elétrico para os tecidos por meio das agulhas potencializa o efeito terapêutico e analgésico. As agulhas estimulam fibras nervosas dos músculos e, quando estimulados eletricamente, produzem peptídeos opioides que tem ação analgésica importante.

Moxabustão | Essa técnica da medicina tradicional chinesa pode ser entendida como uma acupuntura térmica, onde há a aplicação de calor em áreas específicas do corpo, promovendo relaxamento, diminuição da rigidez muscular, ativação da circulação local e também possui efeitos positivos no sistema imunológico do paciente. A moxa é feita a partir da combustão da erva Artemísia e pode ser utilizada em forma de bastão ou em lã. Essa aplicação não gera nenhum tipo de dor para o paciente e também não deixa marcas ou cicatrizes na pele, já que a moxa é mantida a distância. Como temos a aplicação de calor no local, os pacientes relatam sensações agradáveis de relaxamento e também a diminuição da dor.

Ventosaterapia | Essa terapia é uma técnica muito antiga, por meio da qual uma ventosa faz um efeito de vácuo sobre o corpo sugando a pele e o músculo (ou parte dele) e, portanto, abrindo os poros e mobilizando a circulação sanguínea e linfática do corpo. Segura e confortável, nada invasiva nem dolorosa é muito semelhante a uma sessão de massagens, quando aplicada de forma deslizante.

Auriculoterapia | Nesta técnica as diversas regiões ou pontos da orelha podem ser estimuladas de diversas maneiras, como por meio de agulhas colocadas por 20 a 30 minutos, ou pequenas agulhas semipermanentes que podem permanecer por até sete dias. São utilizadas também, por igual período, sementes de diversas plantas para massagem dos pontos, sendo a mais utilizada a de mostarda, além de esferas magnéticas e cristais.