Três dicas para acelerar o metabolismo

19/03/2017 | atualizado em 20/03/2017 | Da Redação
Bem-estarBem-estar Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Conheça os fatores que podem tornar esse processo lento

metabolismo

Quer saber quais são os fatores que implicam diretamente no funcionamento do metabolismo? A gente lista: genética, alimentação, atividade física, peso, estatura, sexo e, claro, idade. Por muito tempo esse último fator foi o protagonista pelos prejuízos que o metabolismo lento pode gerar, entretanto as mudanças no estilo de vida de acordo com as fases – como casamento, vida profissional intensa e a chegada dos filhos – está diretamente ligada ao problema. “Em qualquer fase da vida em que haja piora dos hábitos alimentares e de atividade física, há um prejuízo na taxa metabólica e uma tendência ao ganho de peso”, afirma Suemi Marui, endocrinologista que integra o corpo clínico do Alta Excelência Diagnóstica, de São Paulo (SP).

De acordo com a especialista, na maioria das vezes o metabolismo diminui como um mecanismo de proteção, para economizar ou conservar a energia para funções importantes, como respirar. “A redução da taxa metabólica nesses termos também acarreta sensação de cansaço, fadiga e indisposição para as atividades físicas. E isso se torna um ciclo vicioso que pode acarretar em ganho de peso”, explica. Veja abaixo dicas da endocrinologista para acelerar o metabolismo e evitar que a sobra de energia seja armazenada como gordura ou glicogênio (açúcar).

  1. Lembre-se que a intensidade e a frequência de atividade física determinam o nível de gasto calórico. Por isso, exercite-se pelo menos três vezes por semana.
  1. Quanto mais atividade aeróbica, mais rápido fica o metabolismo. Em longo prazo, quanto mais atividade física fizermos, mais músculos adquirimos e, consequentemente, o metabolismo acelera.
  1. Não existe nenhum alimento que comprovadamente aumente o metabolismo. Cafeína, chá verde e pimenta são conhecidos como termogênicos, mas o aumento é muito leve. Para elevar o metabolismo seria necessário consumi-los em concentrações extremamente altas e inviáveis no dia a dia, sob o risco de problemas cardíacos e gastrointestinais. Por isso, fique atenta com as dietas exclusivas para essa finalidade. O ideal é apostar em uma alimentação equilibrada e saudável.