Pilates pode contribuir com a melhora de problemas emocionais

22/08/2017 | atualizado em 24/08/2017 | Da Redação
FitnessFitness Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Além de contribuir com a boa forma, a modalidade é indicada para prevenir e tratar cinco transtornos comuns

Mulher praticando pilates, uma dos treinos que ajudam a amenizar problemas emocionais.

O emagrecimento, fim das dores nas costas e até mesmo alívio de problemas de circulação vascular são benefícios capazes de se obter por meio do pilates. Mas as vantagens não param por aí. Isso porque alguns estudos realizados em diversos países apontam que a prática regular de exercícios físicos é extremamente benéfica para transtornos emocionais. Douglas Paiva, educador físico e fundador da Pure Pilates de São Paulo (SP), cita abaixo quais são os problemas que podem ser aliviados com a modalidade. Confira!

Síndrome do Pânico | Cada vez mais frequente em vítimas de traumas, a síndrome do pânico causa aceleração na respiração e nos batimentos cardíacos, fatores que também ocorrem durante a prática de exercícios físicos. Porém, pesquisas indicam que devido a liberação da endorfina, os exercícios ajudam a acalmar pessoas que sofrem com as crises de pânico. “O pilates é ainda mais benéfico, pois ajuda na educação da respiração correta, que pode ser muito útil durante uma crise”, comenta.

Ansiedade | A ansiedade excessiva é um mal que atinge grandes parcelas da população mundial, além disso, pode desencadear diversos outros transtornos. A concentração que os movimentos do pilates exigem faz com que as pessoas se mantenham focadas no exercício. “Consequentemente com o passar do tempo, a pessoa descobre formas de usar essa concentração até mesmo fora do ambiente de treino para seu benefício próprio”, diz o especialista.

Baixa autoestima | Além de ajudar a conquistar a forma física desejada, o pilates também faz com que a praticante se sinta bem consigo mesma pelo seu esforço e comprometimento com a prática. “Quem pratica pilates ou qualquer outra atividade física tem uma melhora substancial em sua autoestima”, completa o educador físico.

Depressão | Sabemos que não é nada fácil para uma pessoa que está sofrendo com depressão encontrar uma cura para este mal, no entanto, estudos apontam que atividades físicas podem não só prevenir, como também ajudar a reduzir os sintomas da doença. E o motivo é simples: ao realizar exercícios, o corpo produz endorfina, uma substância química transportada pelo sangue que comunica à outras células a mensagem de “bem-estar”, agindo no sistema nervoso central. “Assim temos a sensação de relaxamento, prazer e até mesmo euforia”, conta Douglas.

Mau humor | Seja por acordar muito cedo, por causa da temperatura local ou devido ao estresse, o mau humor contamina e torna a pessoa muito difícil de lidar. A endorfina pode ajudar muito nessa questão, porém vale lembrar que nem mesmo a mais maravilhosa das substâncias químicas é capaz de operar milagres da noite para o dia, por isso, é importante se comprometer a praticar regularmente para ver os resultados.