Cafeína em excesso prejudica a gravidez

13/06/2018 | Da Redação
NutriçãoNutrição Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

A substância pode até mesmo causar abortos espontâneos

A cafeína, principal componente do café, e presente em substâncias como refrigerantes à base de cola, chás, chocolates e algumas medicações, pode ser muito prejudicial às gestantes, uma vez que esse elemento eleva os risco de o bebê nascer prematuro, abaixo do peso ideal, ou mesmo ter efeitos abortivos.

“Capaz de acelerar o metabolismo da mãe e do bebê, a cafeína afeta o desenvolvimento do feto. A substância estimulante faz com que os vasos sanguíneos do corpo se contraiam, estreitando também os vasos que alimentam a placenta, o que pode prejudicar a circulação útero-fetal. É essa redução de suprimento e de oxigênio, que pode causar aborto ou parto prematuro”, explica Rodrigo Rosa Filho, obstetra e especialista em reprodução humana, de São Paulo (SP).

Segundo ele, consumir de dois a três copos de café por dia eleva os riscos de aborto espontâneo, todavia, não há efeitos colaterais consideráveis em beber apenas uma xícara da substância por dia durante a gravidez. “Os antioxidantes da cafeína ajudam a proteger as células, estimula o cérebro, mas em excesso é prejudicial à saúde da mãe e do bebê”, finaliza.