Consumo excessivo de doces requer atenção

09/06/2018 | Da Redação
NutriçãoNutrição Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Crescimento do diabetes é uma tendência mundial

Tudo em excesso faz mal à saúde, e essa afirmação pode se encaixar tanto para restrições como para abusos, principalmente na alimentação. Mas, quando o assunto é exagerar ou cortar de vez um item do cardápio, as primeiras coisas que vêm à cabeça são os doces, itens que podem provocar o desequilíbrio da dieta.

De acordo com pesquisa Vigitel 2015 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), lançado pelo do Ministério da Saúde, uma em cada cinco pessoas ingerem doces em excesso. E esse índice pode chegar a 30% entre os jovens de 18 a 24 anos de todo o País.

Porém, os números que mais assustam são os da cidade de São Paulo (SP), em que 22,5% dos adultos mantêm uma alimentação rica em açúcar. O objetivo da pesquisa – que entrevistou 54 mil adultos nas principais capitais brasileiras – é monitorar fatores de risco para doenças crônicas, como o diabetes, que é mais frequente entre as mulheres.

Segundo Marcelo Castro, ministro da Saúde, o crescimento do diabetes é uma tendência mundial, devido ao processo de envelhecimento da população, sendo diretamente ligado às mudanças dos hábitos alimentares e à prática de atividade física. “A obesidade é um dos principais fatores de risco e precisamos conscientizar e educar cada vez mais nossas crianças e jovens para o cuidado precoce da saúde, evitando o adoecimento”, afirma. E para ficar longe do problema, vale turbinar o cardápio – com alimentos integrais, frutas e verduras –, controlar o consumo de doces e gorduras, investir em uma rotina de exercícios físicos e, claro, procurar um especialista para tratar o problema corretamente.