Queijos: ótimas fontes de cálcio

19/04/2017 | Da Redação
NutriçãoNutrição Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

O alimento representa de 15% a 40% da ingestão diária desse nutriente

queijos

Não é segredo: a prática de exercícios físicos e o consumo de alimentos ricos em cálcio evita o desenvolvimento de osteoporose, doença que atinge cerca de dez milhões de brasileiros, de acordo com dados da Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo (ABRASO). Isso porque quando não consumimos cálcio, o corpo começa a utilizar o nutriente armazenado nos ossos, o que os deixam mais fracos ao longo do tempo. E pasme-se: por mais que os lácteos (alimentos que mais fornecem o cálcio) sejam frequentes na alimentação, 85% a 97% dos brasileiros consomem este nutriente abaixo da quantidade recomendada, segundo Pesquisa de Orçamentos Familiares, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (POF –IBGE). Para Mirella Pasqualin, da empresa RGNutri de Consultoria, de São Paulo (SP), o cardápio precisa compor cálcio, magnésio e fósforo para contribuir com a saúde óssea.

Nesse cenário, os queijos – sejam eles frescos ou maturados – ganham destaque já que são opções práticas e acessíveis e combinam em diferentes preparações desde saladas e sanduíches até doces e sobremesas. Os queijos apresentam naturalmente proteínas e minerais, como cálcio, fósforo, magnésio e vitaminas A e B2, que são essenciais ao bom funcionamento do organismo. “Cabe destacar que a proteína e a lactose presente nos lácteos favorecem a absorção do cálcio”, explica a nutricionista. E os queijos ganham nessa disputa, pois o consumo de apenas uma porção do alimento (cerca de 30 gramas) pode contribuir com de 15% a 40% (dependendo do tipo de queijo) da ingestão de cálcio que é recomendada diariamente, o que é extremamente vantajoso para conseguir atingir uma alimentação adequada.