Sete erros comuns que sabotam a dieta Low Carb

18/03/2017 | atualizado em 20/03/2017 | Da Redação
NutriçãoNutrição Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Fuja dos deslizes e alcance os benefícios do plano alimentar

healthy eating, dieting and people concept - smiling young woman eating vegetable salad at home

Você embarcaria em uma dieta Low Carb, ou seja, que reduz o consumo de carboidratos? De acordo com Rodrigo Polesso, fundador do Código Emagrecer de Vez e especialista em nutrição otimizada para saúde e bem-estar, pela Universidade Estadual de San Diego, EUA, após anos de estudos concluiu-se que ao diminuir o consumo de carboidratos refinados e processados, principalmente, e aumentar o de gorduras boas, as pessoas sentem-se mais saciadas e automaticamente acabam comendo menos, pois o corpo se regula. “Só para citar uma dessas pesquisas, em 2014 o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos testou dietas de baixa gordura e de baixo carboidrato em 150 homens e mulheres por um ano, e o grupo que restringiu carboidratos perdeu praticamente o dobro do peso e tinha uma propensão maior a perder peso a partir do tecido adiposo”, resume. Vale ressaltar que todo o plano alimentar deve ser acompanhado por um especialista, para que não haja nenhum risco a saúde. E por falar em risco, Polesso separou abaixo alguns erros que podem colocar os resultados dessa dieta por água abaixo. Veja!

  1. Entender a base metabólica | “Todos os alimentos são divididos em três macronutrientes: gordura, proteínas e carboidratos. Quando você entende pelo menos a essência de como o corpo metaboliza cada um deles, você começa a responder sozinho se um alimento pode ou não, independente da quantidade calórica”, esclarece. Ao entender isso, as pessoas passam a si dar liberdade.
  1. Exagerar | Por ter redução de carboidratos, as pessoas tendem a acreditar que essa dieta também é alta em proteínas, o que não é verdade. “As pessoas costumam exagerar nas proteínas, quando na verdade o consumo deve permanecer normal”, declara. Outros pontos que merecem atenção são o consumo de gorduras – que não estão liberados em excesso – e o baixo consumo de carboidratos (que não significa corte).
  1. Controlar a quantidade | O especialista conta que a maioria das pessoas está presa no paradigma quantitativo da alimentação, ou seja, elas pensam que vão emagrecer se comerem em menor quantidade e focam nisso. No entanto a ciência comprova que muito mais importante é a qualidade dos alimentos. “Quando você ajusta a qualidade do que come, a quantidade vai se ajustar por si só”, explica.
  1. Tirar conclusões | Uma alimentação saudável precisa de um período de adaptação. Ou seja, se a pessoa está seguindo uma dieta alimentar ruim há 20, 30 ou 40 anos, ela pode não perder o peso que esperava assim que muda para a alimentação Low Carb. “É importante conversar com o seu nutricionista para saber o que esperar antes de começar o processo, e então, quando se deparar com esse tipo de situação, você consegue entender que é algo normal, antes de tirar conclusões precipitadas”, ressalta.
  1. Ter medo e desânimo | Você poderá sentir vontade de comer um pão, ou sentir-se desanimado uma vez que o metabolismo está em processo de adaptação, e ter vontade de desistir de tudo, por medo de não dar certo. “É comum as pessoas acreditarem então que a dieta não dá certo, que não funciona, ou então se culpam por não terem conseguido, quando tudo na realidade está funcionando e o corpo se adaptando gradativamente”, salienta.
  1. Ceder às pressões sociais externas | “Se você tem plena confiança da sua decisão de começar a seguir um estilo de alimentação saudável, mas não se abasteceu de conhecimento, você vai tender a ceder às pressões externas”, conta Polessa. Por isso, crie um escudo contra as pressões externas. O conhecimento científico é uma boa forma de sanar essas situações.
  1. Não dosar as expectativas | O especialista ressalta que o ser humano, apesar de ser similar em sua essência, possui muitas diferenças, e o impacto da alimentação na saúde varia muito de acordo com o estilo de vida de cada um. “Talvez você seja uma pessoa que comece a perder peso mais devagar. Outras pessoas podem perder bastante peso logo no começo, mas no final do processo os dois tenderão a alcançar o mesmo objetivo”, ressalta.