Tenha um almoço de Páscoa equilibrado

15/04/2017 | atualizado em 17/04/2017 | Gabriela Martins
NutriçãoNutrição Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Restringir demais a alimentação não é o ideal para manter a dieta

arroz e peixe para almoço de Páscoa

Bacalhau, batatas, chocolates… O almoço de Páscoa é um convite para a mesa farta com a família e possíveis exageros, o que pode desanimar de vez quem fez esforço para começar aquela prometida dieta. De acordo com Mariana Amaro, nutricionista da rede dr.consulta, de São Paulo (SP), é preciso que as pessoas se conscientizem de que nem tudo é absolutamente proibido. “Na maioria dos casos, é preferível que a pessoa consuma com moderação o que gosta e até que faz parte da sua tradição de família, no caso de datas como a Páscoa. A privação ou exclusão completa de alguns alimentos podem ser ruins no aspecto emocional e psicológico e até gerar comportamentos compensatórios muito piores em outro momento”, esclarece. Para alegria de quem quer manter a boa relação com a balança, Pense Leve traz abaixo algumas dicas da especialista. Confira!

Na hora do almoço de Páscoa

Bacalhau sim, mas com pouca gordura | A melhor maneira é consumi-lo cozido ou feito no forno, não adicionando muito azeite, manteiga ou creme de leite. Outra boa opção é prepará-lo desfiado com vegetais ou grão de bico. É importante ter cuidado ao dessalgar o peixe, em especial, se pessoas que têm restrição no consumo de sódio forem consumi-lo. Fonte de ômega 3, o pescado é uma boa pedida para a saúde.

Acompanhamentos mais nutritivos e menos gordurosos | Os legumes são opções muitas vezes mais saborosas, mais ricas em vitaminas, minerais e fibras do que as batatas. Uma boa alternativa é servir vegetais assados ou tomates recheados, por exemplo. Os vegetais folhosos também são bons acompanhamentos, refogados, cozidos ou até como entrada, na forma de salada.

Substitua arroz branco por integral ou por outros grãos | A substituição de arroz branco por integral é ótima do ponto de vista nutricional. A quinoa, a cevadinha e o trigo podem ser misturados ao arroz ou consumidos à parte. Todos esses grãos integrais são excelentes fontes de fibras e de nutrientes, como vitaminas e minerais. Mesmo assim, consuma com moderação. Se for servir farofas, cuidado com a gordura usada no preparo. Para torná-la mais nutritiva, uma solução é incluir grãos e sementes oleaginosas (castanhas ou amêndoas), que são fontes de proteína, fibras e gorduras boas – as insaturadas. Abobrinha refogada e frutas suculentas, como o abacaxi, trazem umidade que seria conquistada com a adição de ingredientes gordurosos.

 

A privação ou exclusão completa de alguns alimentos podem ser ruins no aspecto emocional e psicológico. Por isso, é importante não se privar de consumir os alimentos típicos do almoço de Páscoa

 

No momento da sobremesa do almoço de Páscoa

Qual o tipo de chocolate mais indicado? | O chocolate com maior percentual de cacau é o mais rico em elementos antioxidantes, por isso, sempre será a melhor escolha do ponto de vista nutricional. Mas o nível calórico dos chocolates é semelhante, por isso, para quem não se adaptou ainda ao sabor mais amargo, o recomendável é consumir o tipo que gostar mais. Escolhendo aquilo de que gostamos, conseguiremos nos satisfazer com uma porção moderada, o que não atrapalha demais a dieta para perda de peso.

Qual a quantidade de chocolate recomendada para crianças e adultos? | A porção padrão média para adultos gira em torno de 25 gramas. Porém, isso é muito generalizado – o ideal mesmo é que cada um calcule com o seu nutricionista a dose certa para não comprometer a sua dieta. Vale lembrar que 25 gramas de chocolate brando possui 135 calorias, ao leite 135 kcal, ao leite diet 140 kcal, ao leite com castanha-do-pará 140 kcal, meio amargo 119 kcal e 70% cacau 144 kcal.