Descubra os benefícios do ômega 3 na gestação

07/09/2017 | atualizado em 18/09/2017 | Da Redação
NutriçãoNutrição Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Entenda porque algumas mulheres precisam de suplementação do nutriente

alimentos ricos em ômega 3

A alimentação equilibrada e nutritiva é essencial para garantir a saúde dos bebês e das futuras mamães. Um dos nutrientes importantes é o ômega 3, a chamada “gordura do bem”, presente em grande quantidade nos peixes de águas frias, como salmão, sardinha, bacalhau e atum, além dos moluscos.

Esse ácido graxo em um potencial benéfico para o crescimento e funcionamento do cérebro, bem como para a formação dos neurônios. “Essas células nervosas são protegidas por uma capa de gordura que ajuda na comunicação entre elas. Uma das composições dessa proteção é o DHA, substância que constitui o ômega 3 e auxilia no desenvolvimento do sistema nervoso central e formação e fortalecimento da retina do bebê”, explica Wanessa Scala, gerente médica do Aché Laboratórios, de São Paulo (SP).

Mulheres grávidas devem consumir diariamente 200 microgramas de ômega 3

De acordo com a especialista, além dos benefícios acima citados, o DHA também pode contribuir na redução do risco de nascimento de crianças prematuras e abaixo do peso. Mas, apesar de todas as vantagens, o consumo do ômega 3 no Brasil é extremamente baixo, segundo a Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

A quantidade de ingestão indicada para gestantes é de 200 microgramas do nutriente por dia. Porém, um filé de 100 gramas de salmão criado em cativeiro, que é o tipo consumido no país, apresenta teor inferior a 1,4 gramas. Logo, a suplementação pode ser necessária para atingir a recomendação da Abran. Para identificar essa necessidade, o ideal é buscar auxílio de especialistas.