Cinco coisas que você precisa saber sobre o câncer de ovário

06/07/2018 | Da Redação
SaúdeSaúde Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Idade e histórico familiar são fatores de risco para o desenvolvimento da doença

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o câncer de ovário atinge, anualmente, mais de 250 mil mulheres em todo mundo. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o número de casos no Brasil chega a 5 mil por ano. Por ter diagnóstico difícil de ser rastreado, o ideal é ficar atenta as principais características da doença, por isso, Pense Leve traz cinco alertas listados por Angélica Nogueira, presidente do Grupo Brasileiro de Tumores Ginecológicos, Grupo EVA. Veja abaixo!

  1. Os sintomas podem ser confundidos com problemas gastrointestinais.

Entre incômodos estão: aumento do volume abdominal, inchaço, náuseas e sensação de indigestão, além de necessidade frequente de urinar. Caso um ou mais sintomas desse tipo persistam, por mais de uma semana, é recomendado que a mulher consulte um médico.

  1. Não há um teste específico para rastrear a doença precocemente.

Para diagnosticar os cânceres de útero e de mama, por exemplo, o papanicolau e a mamografia são exames eficazes. No entanto, o mesmo não acontece com o câncer de ovário. Por isso, além de consultar o ginecologista frequentemente, vale ficar atenta aos sinais do próprio corpo.

  1. A idade e o histórico familiar são fatores de risco para desenvolver a doença.

Esse tipo de câncer ginecológico é mais incidente em mulheres com idades acima dos 40 anos. Mas, pode se manifestar tanto no início da idade fértil, quanto em mulheres na pós- menopausa. Além disso, caso haja relatos de outros casos de câncer de ovário ou mama na família, a atenção deve ser redobrada.

  1. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), 75% dos casos são diagnosticados em fase avançada.

Como os sintomas não são específicos e não existem testes de prevenção e de rastreamento eficazes, o diagnóstico geralmente é feito em estágios avançados da doença, o que coloca o problema entre os tipos de câncer mais letais.

  1. O diagnóstico precoce é a melhor forma de combater o câncer de ovário.

A causa desse tipo de câncer ainda não está totalmente esclarecida. Por isso, as ações mais eficientes para combate e melhores condições de tratamento envolvem o conhecimento do próprio corpo e a realização de exames de rotina, principalmente, em mulheres com mais de 50 anos.