Conheça os sintomas da endometriose

08/06/2017 | atualizado em 12/06/2017 | Da Redação
SaúdeSaúde Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

O problema afeta seis milhões de brasileiras e pode causar infertilidade

mulher com cólicas por conta de endometriose

No período menstrual, o sangramento apresenta dois caminhos: as células são expelidas pela vagina (menstruação) e algumas refluem pelas tubas uterinas. Quando a mulher tem predisposição para endometriose, algumas células que refluíram pelas tubas, acabam por se implantar e crescem em outros locais da superfície do peritônio (tecido que envolve todos os órgãos intra-abdominais).

Mais comum do que se imagina, a doença acomete muitas mulheres e pode ser detectada em algumas situações, ainda em estágio inicial. “O sintoma mais frequentemente encontrado em pacientes com endometriose é a dor pélvica, tipo cólica. Geralmente essa dor é no período menstrual e vai aumentando gradativamente com a evolução da doença”, reforça Fernando Guastella, coordenador dos cursos de Ultrassonografia Transvaginal (básico e avançado) e elastografia do Cetrus, de São Paulo (SP).

Além de cólicas, o problema pode causar diarreia, dores ao urinar e dificuldade para engravidar

De acordo com o especialista, para diferenciar as cólicas comuns da cólica causada pela doença, vale prestar a atenção na intensidade. Já as mulheres que nunca sofreram com o problema e passaram a ter, também precisam ficar alerta.

Além das dores, outros sintomas podem indicar endometriose e devem ser averiguados. “Durante a menstruação, além das cólicas, algumas mulheres têm diarreia, um sinal bem comum de pacientes com endometriose intestinal. Outras podem ter dores ao urinar (disúria), associado ou não a sangramento”. Estes são sintomas de estágios mais avançados da endometriose e devem ser averiguados.

Independentemente de qualquer um dos sintomas citados acima, outro grande indicador da doença é a infertilidade. Dados da Sociedade Brasileira de Endometriose dizem que a doença é responsável por 40% dos casos de infertilidade no Brasil, mas apenas 1/3 das brasileiras associa a doença à dificuldade de engravidar.