Crosslinking: novo tratamento para doença de visão

04/02/2018 | Da Redação
SaúdeSaúde Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Ele retarda ou interrompe a evolução do ceratocone

Crosslinking: o nome pode até soar como uma modalidade esportiva, mas, na realidade, trata-se do que há de mais novo em tratamento do ceratocone, doença que causa embaçamento e distorção da visão.

“O Crosslinking é um procedimento minimamente invasivo que consiste em uma raspagem da superfície da córnea, para que os medicamentos utilizados penetrem mais facilmente, e aplicação de colírio de vitamina B2, várias vezes, durante 30 minutos. Em seguida, entra a luz ultravioleta (UVA), por mais 30 minutos. Essa técnica permite que as fibras de colágeno criem novas ligações entre elas, fortalecendo a estrutura da córnea”, explica Wilson Obeid, oftalmologista do Hospital CEMA, de São Paulo (SP).

O intuito é retardar e até mesmo interromper a progressão do problema. Segundo o médico, a técnica tem efetividade superior a 90%.

O especialista enfatiza que, nos mais jovens, principalmente nas crianças, a chance de o ceratocone evoluir rapidamente é muito maior do que nos adultos. Apesar de a doença ter componente genético importante, é essencial evitar hábitos como coçar os olhos, pois esse é um fator de risco considerável para o desenvolvimento do problema.

“Recomendamos sempre que as pessoas procurem um especialista de córnea anualmente. Nos menores de 15 anos, semestralmente. Dependendo do caso, é necessária essa rotina de consultório a cada três meses”, finaliza.