Doenças cardíacas em bebês podem ser observadas durante a gestação

13/03/2018 | Da Redação
SaúdeSaúde Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Exames como ultrassom e ecocardiograma fetal auxiliam a diagnosticar esses problemas

Não é só após o nascimento que as mulheres devem ficar atentas aos testes para a verificação de doenças no bebê, ainda mesmo no pré-natal é possível detectar problemas que devem ser acompanhados já na primeira fase da vida, como as cardiopatias congênitas. Elas são causadas por diabetes gestacional, uso de drogas, tabaco ou medicações, exposição a raios-X durante a gravidez ou herança familiar.

As anormalidades na estrutura do coração podem ser diagnosticadas quando a criança ainda está na barriga da mãe, por meio de exames de ultrassom e ecocardiograma fetal. “Diagnosticar a doença durante a gestação facilita o tratamento. Pois assim que o bebê nasce já podemos realizar a cirurgia e minimizar riscos e futuros problemas”, explica Luis Cavalcante, cardiopediatra do Hospital São Luiz, unidade Jabaquara, de São Paulo (SP).

Dependendo do caso, o tratamento do bebê pode ser realizado ainda dentro do útero ou logo após o nascimento, ajudando a minimizar possíveis sintomas. “O tratamento tem a finalidade de equalizar esses sintomas, pois em muitos casos não é possível eliminá-los dependendo da gravidade da doença”, explica o especialista. Além de serem diagnosticados na gravidez, as complicações cardíacas também podem ser observadas ao longo da infância, por meio dos sintomas que vão desde cansaço ao realizar esforço ou atividade física até problemas de circulação.