Fatores que contribuem para a cicatrização da pele

09/07/2018 | Da Redação
SaúdeSaúde Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Um cardápio balanceado, rico em vitaminas e minerais auxiliam nesse processo

Cicatriz é o nome dado a marcas na pele causadas por traumas, acidentes, cirurgias ou doenças. Trata-se de uma lesão que interrompe a continuidade da pele e pode ser aguda ou superficial. Além do tratamento natural do organismo e o realizado com medicamentos, outros dois fatores podem ser aliados para a reconstituição dos ferimentos: a hidratação e a alimentação.

“O cardápio deve ser equilibrado e balanceado, com carboidratos, proteínas, gorduras e vitaminas. O nutricionista é o profissional indicado para definir a dieta, de acordo com cada caso”, explica Antonio Rangel, enfermeiro estomaterapeuta (especialista em feridas) da Membracel. Segundo Rangel, os carboidratos são importantes porque oferecem energia para a função dos leucócitos, macrófagos e fibroblastos, e as proteínas favorecem a formação de novos vasos sanguíneos, a proliferação dos fibroblastos e a síntese de colágeno, que são fatores imprescindíveis para a cicatrização. Já as gorduras são necessárias para a formação de novas células.

Para o especialista, a alimentação também precisa contemplar a ingestão de vitaminas A e C e minerais. “A vitamina A favorece a síntese e a ligação cruzada do colágeno, além de oferecer resistência ao tecido regenerado. A vitamina C auxilia na resposta imunológica e na síntese e resistência do colágeno”, explica. E a hidratação fica por conta da água, do suco de frutas naturais e da água de coco.

Fique de olho nos vilões!

A infecção da ferida e a falta de oxigenação no tecido ― já que uma circulação deficiente reduz o fornecimento de oxigênio aos tecidos, desacelerando a cicatrização ― são alguns dos fatores que podem dificultar o processo. Além disso, a idade avançada, alguns tipos de medicamentos e o cigarro também são prejudiciais. “O avanço da idade diminui a velocidade metabólica celular. Acima dos 60 anos, é comum o surgimento de disfunção vascular, diabetes e aumento dos níveis de colesterol e triglicerídeos. Já os medicamentos ― como anti-infamatórios corticoides e quimioterápicos ― e a nicotina podem influenciar no processo cicatricial por diminuírem a resposta imunológica normal”.