Nem toda a tontura é labirintite

17/04/2017 | atualizado em 20/04/2017 | Da Redação
SaúdeSaúde Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Saiba quais são os possíveis problemas que causa o incômodo e procure um especialista

mulher com tontura

A tontura é uma das maiores queixas nos consultórios, ficando abaixo apenas da dor de cabeça, principalmente entre os idosos. A sensação, mesmo quando intensa, pode ocorrer por um problema leve e ser momentânea, mas também pode ser indício de alguma doença mais séria. Em ambos os casos compromete a qualidade de vida.

“A maioria das pessoas que sente tontura tem alguma doença do labirinto, mas não a labirintite, que é a inflamação deste órgão sensorial. É preciso saber qual é a doença que está causando esse sintoma”, explica Márcio Salmito, otorrinolaringologista com especialização em otoneurologia, responsável pelo serviço na Unidade Campo Belo do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo (SP). “A tontura deve sempre ser investigada, pois pode ser um indício de alguma doença do labirinto e também indicar a presença de outras enfermidades, como diabetes, pressão alta ou baixa, anemia, problemas vasculares, neurológicos e cardíacos. Quanto mais cedo procurar um especialista, maiores as chances de recuperação”, completa.

O sucesso do tratamento depende totalmente da identificação da causa da tontura

De acordo com o especialista, o sucesso do tratamento depende totalmente da identificação da causa da tontura. É preciso conversar com o paciente, entender o que ele descreve como tontura e saber a frequência e a duração das crises. Há também um exame que deve ser realizado que, além de ser preciso, não desencadeia tontura na hora do teste: o paciente coloca um óculos com dois sensores ― um de movimentação da cabeça e outro que detecta a movimentação ocular. Desta forma, é possível identificar, a partir de pequenos impulsos da cabeça, a relação entre o movimento produzido e o movimento reflexo dos olhos e, deste modo, analisar o funcionamento do labirinto.

“O diagnóstico é fundamental para direcionar o tratamento e a medicação correta. Muitos pacientes acabam procurando remédios para labirintite, que não está nem entre as dez principais causas de tontura. A maioria deles possui outra doença do labirinto, sendo a mais comum a Vertigem Posicional Paroxística Benigna (VPPB), que é tratada no consultório. Esses pacientes costumam se beneficiar com alguns movimentos na cabeça sem a necessidade de medicamentos. É importante ressaltar que medicamentos para a tontura usados indiscriminadamente podem até agravar o problema”, finaliza.