Sete cuidados sobre urticária infantil

16/05/2018 | Da Redação
SaúdeSaúde Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Problema afeta de 15% a 20% das crianças e exige cuidado dos pais

médica analisando braço de criança com urticária

Engana-se quem acredita que urticária é um problema exclusivo dos adultos. O quadro atinge entre 15% a 20% das crianças e pode ser causado por infecções causadas por vírus, medicamentos (em especial, antibióticos e os anti-inflamatórios) e alimentos. Para saber se seu filho sofre com o incômodo, basta observar os sintomas, que podem ser: manchas avermelhadas – algumas com relevo – que podem se juntar formando placas e têm duração fugaz e localização variável.

Em alguns casos, pode se associar com o angioedema, ou seja, inchaços em locais do corpo como: pálpebras, face, lábios, genitália, entre outros. “Nos casos de urticária crônica predominam as induzidas, ou seja, desencadeadas por estímulos físicos, comprometendo a qualidade de vida, a relação com o meio social, acarretando falta às aulas e prejuízo no aprendizado”, explica Maria de Fátima Epaminondas Emerson, coordenadora da comissão especial de assuntos comunitários da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), de São Paulo (SP).

O tratamento da urticária envolve a identificação e o controle da causa, cuidados cutâneos e o uso de medicamentos, sendo os anti-histamínicos orais (antialérgicos) os de primeira linha para tratar a doença. “É recomendado o uso de anti-histamínicos de nova geração, que possuem menos efeitos colaterais, não causam sonolência e não interferem no aprendizado escolar. Em alguns casos, recomenda-se o uso destes medicamentos com doses aumentadas, por tempo prolongado, com bons resultados”, explica Fátima.

Confira abaixo algumas dicas da especialista destinada aos pais.

  1. Sigam as recomendações do alergista. Em alguns casos, os pais ficam temerosos em fazer a dose aumentada do anti-histamínico e não cumprem o prescrito;
  2. Banhos não devem ser quentes nem demorados. A pele está sensível, usem sabonetes suaves. Evitem os sabonetes bactericidas, pois ressecam a pele;
  3. A pele deve ser hidratada logo após o banho, ainda úmida;
  4. Crianças devem seguir uma alimentação saudável e natural. Dietas serão indicadas apenas em casos específicos e comprovados;
  5. Corantes e conservantes não são causas mais comuns de urticária. Cada criança deve receber uma orientação específica para seu caso;
  6. Evitem medidas ou tratamentos caseiros;
  7. Urticária não é contagiosa e não passa de uma criança para a outra.