Teste do pezinho: por que fazer?

08/07/2018 | Da Redação
SaúdeSaúde Destaque
Facebook twitter E-mail Imprimir

Saiba quais os benefícios desse exame para a saúde do bebê

Feito na maternidade por meio da coleta de algumas gotinhas de sangue do calcanhar do recém-nascido, esse exame permite diagnosticar diversas doenças precocemente, antes mesmo que o bebê apresente sintomas. O fator mais importante é evitar lesões irreversíveis e alterações no desenvolvimento neuropsicomotor.

Por isso, desde 1992, o teste é obrigatório por lei. Dividido entre básico ― que detecta quatro doenças congênitas causadoras de deficiências como fenilcetonúria, hemoglobinopatias, hipotireoidismo congênito e fibrose cística ― e avançado, que identifica até 46 patologias, o exame deve ser efetuado a partir de 48 horas do nascimento e não deve ultrapassar o prazo de 30 dias.

De acordo com Regina Munhoz, bióloga responsável pela Triagem Neonatal do Hospital e Maternidade Santa Joana, a coleta sempre gera apreensão nos pais, mas é necessário que seja realizado no tempo informado pelo hospital, para definir se realmente o recém-nascido necessitará de algum acompanhamento específico, principalmente, em casos em que uma segunda coleta é necessária para confirmar o primeiro resultado.

“A grande importância do Teste do Pezinho é o diagnóstico precoce para a tomada de ações necessárias em tempo, garantindo uma vida saudável ou uma melhor qualidade de vida ao recém-nascido portador dessas doenças” afirma.