É seguro experimentar maquiagens expostas em lojas?

Lábios e olhos são áreas sensível e é preciso cuidados. Saiba quais são

Muitas lojas oferecem a possibilidade de se testar máscara de cílios, delineador, lápis de olho, gloss e batons antes de comprar o produto. Mas isso não é tão simples assim.

“Estes produtos estão expostos, de forma constante, a uma quantidade enorme de germes, como é o caso do estafilococos, estreptococos e E. Coli”, afirma Claudia Marçal, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da American Academy of Dermatology (AAD), de Campinas (SP).

“Quando aproximamos estes tipos de bactérias dos olhos, nariz ou boca, há um risco maior de se ter infecções bacterianas ou virais e até doenças mais sérias, como herpes”, acrescenta a médica. E mais: se uma pessoa saudável usá-los logo depois de alguém com gripe, mononucleose ou doenças respiratórias causadas por bactérias, corre-se o risco de contágio.

Cuidados

Além disso, de acordo com Claudia, muitas vezes o produto em exposição não é guardado em lugar fresco e seco, é manipulado de modo inadequado e, com isso, acaba tendo um potencial de conservação muito menor. Isso também pode facilitar o contágio de doenças.

“A forma mais segura de testar a maquiagem é no pulso, onde não existe risco de contato com a corrente sanguínea. Para aproximar mais da cor dos lábios, teste batons na ponta dos dedos. Se ainda assim precisar ver a cor na face, molhe o batom em álcool durante uns segundos para matar a maioria das bactérias. Mas isso também não é 100% seguro”, afirma.

Outra recomendação é usar um pincel descartável para testar o batom e pedir para a vendedora derramar um pouco de álcool na bala do produto, além de raspar a parte mais externa. “Mesmo que a maquiagem apresente boas condições, o uso de instrumentos descartáveis é a melhor opção para aplicá-la na pele”, afirma.