Autocobrança gera problemas graves

Não existe mulher perfeita, e psicóloga explica como sair dessa sobrecarga
mulher triste por autocobrança feminina
Sad depressed woman at home sitting on the couch, looking down and touching her forehead, loneliness and pain concept

Para cada homem com depressão no mundo, existem duas mulheres, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. E não é para menos: além dos afazeres domésticos, profissionais, maternos, conjugais e estéticos, a mulher ainda se cobra para que tudo ao redor dela esteja perfeito.

E pior: a desvalorização de suas atividades pode acontecer tanto no lar quanto no trabalho, além da autofrustração. Para Lizandra Arita, psicóloga de São Paulo (SP), a mulher precisa aceitar que não existe a mulher perfeita, mas sim, a humana com suas próprias limitações.

Ela destaca, ainda, que alguns veículos de comunicação costumam propagar esse ideário. “Uma mulher que possa conciliar toda a rotina doméstica, bem-sucedida profissionalmente e ainda estar dentro dos padrões de beleza”, comenta.

Mas, na realidade, a sobrecarga da rotina doméstica, por exemplo, deve ser melhor administrada entre todos os integrantes da família. “O marido e os filhos precisam colaborar também nas tarefas de casa. Esse dever não cabe somente à esposa. Dizer ‘não’ para determinadas atividades e reconhecer as limitações físicas e emocionais é de suma importância para evitar o estresse”, aconselha.

Segundo a psicóloga, a mulher necessita se libertar da escravidão imposta a si mesmo. “Olhar para si não é sinônimo de egoísmo ou de quem abandonou as necessidades da família, mas sim um sinal de que também é humana e merece toda a atenção”, conclui.