Bullying deve ser corrigido em casa

Bloquear a dominação e desrespeito dos pequenos faz parte da responsabilidade dos pais
the little girl is afraid

O bullying envolve um comportamento agressivo de palavras ou atitudes, que é repetitivo e feito por alguém que exerce algum tipo de poder ou intimidação sobre outra pessoa do mesmo nível hierárquico – diferente do assédio moral, quando é exercido por alguém de nível hierárquico superior sobre um subalterno.

Segundo com Mario Louzã, médico psiquiatra e psicanalista, o comportamento de domínio é muito frequente em animais que vivem em grupos e foi sendo inibido entre os humanos à medida que foi se constituindo a civilização. “As crianças precisam ser ensinadas a respeitar limites e os demais seres humanos.

De certo modo, elas aprendem a domar seus próprios instintos e desejos, inclusive o de dominar seus pares. Este é um dos papéis fundamentais dos pais, os primeiros e mais importantes modelos que a criança toma para aprendizado das regras sociais. É importante lembrar que cada criança, desde cedo, começa a demonstrar seu temperamento e suas características de comportamento: umas mais tímidas, outras mais extrovertidas, etc. Essas características serão moldadas ao longo do tempo, conforme o ambiente familiar e social”, ressalta.

Aspectos culturais também devem ser levados em conta. Especialmente em relação aos meninos, que são cobrados desde cedo a se tornarem corajosos e fortes no contexto social ao qual pertencem. Ao invés das cobranças, o ideal é investir em uma criação baseada no respeito. Para o especialista, a base psicoterápica é o melhor caminho para o agressor e a vítima.

“Para o ‘buller’, o trabalho envolve amenizar seu comportamento agressivo. Já para a vítima do bullying, a terapia ajuda a superar a dificuldade de se expressar e se defender. Em ambos os casos a orientação ou terapia dos pais é indicada, uma vez que estes muitas vezes se sentem “perdidos” e não conseguem lidar adequadamente com seus filhos”, destaca.