Mantenha a acne sob controle

Saiba como deve ser a rotina de cuidados com a pele e descubra quais sãos as melhores opções de produtos

Nada pior do que acordar de manhã, olhar no espelho e dar de cara com uma espinha nova. Mas você sabe como agir quando a acne aparece? O primeiro passo para tratar esse problema é não espremer a espinha de forma alguma, pois isso pode agravar a inflamação. Depois é importante utilizar produtos adequados para o combate do problema.

“Esse tipo de tratamento demanda atenção especial e muitas vezes é necessário visitar o dermatologista para a indicação dos produtos ideais”, comenta Jardis Volpe, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia. “Mas devemos tomar cuidado com substâncias que secam a pele em demasia, pois pode causar efeito rebote: a oleosidade e a acne acabam voltando pior”, completa. Confira abaixo dicas do especialista para ficar longe dos cravos e espinhas.

Limpeza | “Podemos lavar a pele com sabonetes que contenham ácidos, como o glícólico ou salicílico, que ajudam a esfoliá-la, retirando principalmente o excesso de oleosidade”, afirma.  Extratos vegetais como o de calêndula também podem ser usados.

Tonificação | “Logo após o sabonete, usar um tônico adstringente com ativos secativos e bactericidas e que contenham álcool em pequena dose. O tônico regula o pH, promove limpeza profunda dos poros e ajuda na penetração de ativos”, explica Volpe.

Hidratação | “É fundamental para evitar o efeito rebote”, explica. Uma boa dica é consultar um dermatologista para encontrar produtos que ofereçam a hidratação adequada.

Secativos | “Para atuar nas espinhas inflamadas, o secativo deve atuar rapidamente e ter baixo grau de irritação”, indica. Boas opções de ativos para esses produtos são: enxofre, melaleuca e ácido salicílico.

Fotoproteção | “Fotoprotetores específicos para peles oleosas e acneicas podem conter ativos controladores da oleosidade e devem ter toque seco”, afirma.

Tecnologias | “O uso de laser e LEDs podem ser adjuvantes no tratamento, melhorando as lesões inflamatórias e auxiliando na cicatrização”, diz Volpe.