Riscos de ser workaholic

Entenda os sinais que confirmam o problema
mulher trabalhando para ilustrar ma´teria sobre workaholic

Não ter previsão para sair do trabalho, levar serviço para casa, ficar conectada ao e-mail ou a assuntos comerciais o dia inteiro (e em todos os lugares!) e se autocobrar de maneira exagerada são alguns dos fatores que caracterizam uma pessoa workaholic.

Se você já ouviu esse termo, mas não sabe exatamente o que significa ou mesmo tendo uma noção do assunto, ainda tem dúvidas com relação aos riscos que o problema pode gerar, confira abaixo alguns esclarecimentos de Celso Bazzola, diretor executivo da Bazz Consultoria, de São Paulo (SP).

  1. Conheça as características do workaholic | São pessoas que constantemente trabalham mais de 12 horas por dia no escritório e ainda levam serviço para casa. Frequentemente recebem críticas por, no fim de semana, ficar de olho no celular e checar as mensagens a cada hora para ver se existe alguma pendência no trabalho.
  2. Descubra se você sofre com o problema | “Não conseguir se desligar do trabalho, deixando de lado sua convivência social, seja com familiares ou amigos, faz com que a pessoa se torne um trabalhador viciado e compulsivo, que mesmo fora de seu ambiente corporativo, cria um cenário recheado de temas sobre seus negócios”, esclarece. Sintomas desse distúrbio de comportamento é uma autoestima exagerada, insônia, mau-humor, impotência sexual, atitudes agressivas em situações de pressão e, muitas vezes, depressão.
  3. Saiba quais são os problemas relacionados | Para Bazzola, a situação pode ser bastante problemática e pode trazer sérios prejuízos para o profissional e, até mesmo, à empresa. “Acredito que para empresa a situação traz mais desvantagens. Inicialmente pode ser interessante, pois a velocidade dos resultados é satisfatória, porém há um desgaste emocional natural do profissional, que estará isolado e restrito ao tema trabalho, bloqueando sua sociabilização – o que poderá resultar em sérios transtornos futuros para sua vida”, ressalta.
  4. Encontre o caminho ideal para viver | O caminho para combater esse problema é assegurar o equilíbrio, entre a vida pessoal e profissional, buscar valorizar mais os momentos de lazer e perceber que o descanso é fundamental para melhoria de resultados e busca de novas ideias, que podem potencializar os resultados no trabalho. Bazzola diz que não há pecados em trabalhar esporadicamente além de sua carga diária, desde que essa ação seja meramente por necessidade de urgência e de impacto específico.
  5. Workaholicx Worklover | É importante sabermos diferenciar o amor ao trabalho do vício. Um worklover tem noção de que o excesso se refletirá em conflitos nos relacionamentos pessoais, além de proporcionar efeitos nocivos à saúde e bem-estar. Existem profissionais que buscam entregar resultados e isso é positivo. É importante ter em mente que, o fato de ser um workaholic não significa que o profissional seja mais produtivo. Muitas vezes, vemos pessoas que não conseguem ter organização no seu dia a dia e acabam trabalhando mais tempo para entregar o mesmo resultado.