Entenda a humanização do parto

Esse método proporciona para a gestante uma experiência única e saudável
Image of pregnant woman touching her belly with hands

Certamente você já deve ter ouvido falar do Parto Humanizado, que é um processo que pretende desconstruir o conceito de que o parto é algo ruim. O procedimento de humanizar visa refletir e respeitar os aspectos culturais, psíquicos e emocionais da mulher, atribuindo total atenção para a mãe e o bebê. De acordo com a Organização da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde, apesar de essa técnica não ser muito divulgada pelos hospitais, ela é um direito de qualquer gestante. Alberto Guimarães, ginecologista e obstetra de São Paulo (SP), defensor e precursor do Programa Parto sem Medo, responde algumas perguntas sobre esse procedimento.

  1. É possível uma cesárea humanizada?
    Sim, a cesárea desde que seja necessária, também pode ser realizada de forma humanizada. Retirar o pano que separa a paciente do bebê e permitir que o pai acompanhe o procedimento são atitudes que podem transformar a cesárea mais humanizada possível.
  2. Existem tentativas para a proibição de doulas na hora do parto. Elas podem atrapalhar o evento?
    A função da doula é prestar apenas apoio físico e emocional à gestante. Se a doula for experiente, ela se faz “invisível”, tornando a mulher o foco principal do momento.
  3. A recuperação do Parto Humanizado é melhor que os partos habituais?
    Sim, a recuperação é melhor, pois não é realizada episiotomia – técnica de corte na região do períneo para facilitar saída do bebê –, que dificulta a rotina da mulher durante o puerpério.