Falta de amor ou problema hormonal?

A ocitocina é um hormônio que pode interferir no desejo

Você pode até pensar que seu par não se interessa mais por você. São tantos anos, problemas e desgastes que você tende a acreditar que o relacionamento caminha para o fim. Mas aqui vai uma ótima notícia: muitas vezes, o amor não acabou, mas problemas hormonais podem estar causando esse distanciamento.

Segundo Denise Portugal, endocrinologista e professora da Associação Brasileira de Medicina Ortomolecular, no Rio de Janeiro (RJ), cerca de 70% dos problemas relatados pelos pacientes como sendo de relacionamento entre casais estão diretamente ligados aos desequilíbrios hormonais, muitas vezes, de ambas as partes.

Hormônio do amor

Um destes hormônios é a ocitocina. Responsável por estimular a contração do útero na hora do parto e por ajudar as mulheres na amamentação, também age como um transmissor que regula o comportamento de interação social das pessoas.

“Quando liberado pelo cérebro, é capaz de diminuir o estresse e melhorar a libido, sendo, por isso, também conhecido como o ‘hormônio do amor’”, diz a médica. E, ao contrário do que possa parecer, os homens também a fabricam, embora em menor quantidade.

Empatia e autoconfiança

A quantidade de ocitocina no organismo é responsável, muita vezes, pela empatia entre pessoas, honestidade e autoconfiança. “Todos esses pontos são primordiais para uma relação saudável e duradoura. Portanto, antes de pensar que acabou o amor, consulte um endocrinologista para verificar se seus hormônios estão em níveis saudáveis”, recomenda.