Quatro atitudes para driblar uma mente gorda

Para a manutenção do peso ideal em longo prazo, é fundamental "emagrecer" a mente

Quem não quer emagrecer e manter o peso ideal de forma definitiva, sem ter que seguir dietas restritivas e se sacrificar? “A manutenção do peso, no entanto, é sempre a fase mais difícil”, comenta Gladia Bernardi, nutricionista e coach em emagrecimento, de Curitiba (PR).

Na visão da especialista, isso acontece porque, ao contrário do que se acredita, o processo para perder peso não depende de dietas rigorosas e exercícios físicos extenuantes. ” É preciso treinar a mente”, explica a especialista, que também é autora do livro O Código Secreto do Emagrecimento (Ed. Gente).

Como fazer isso? Trabalhando o que a coach chama de engrenagens cerebrais do emagrecimento: pensamentos, sentimentos e emoções, comportamentos e formação de hábitos.

Exercitando as engrenagens cerebrais

1) Pensamento e palavras

“Se a pessoa pensa ‘não quero ser gorda’, ela está se concentrando em algo negativo, ligado à gordura que tanto deseja eliminar. Por outro lado, se a pessoa mentalizar a questão de forma positiva, pensando ‘sou magra’, ‘posso ser magra’, ‘mereço ser magra’, por exemplo, estará driblando a ‘mente de gordo’. Então, a recomendação é simples: concentre-se naquilo que deseja, e não no que não quer ou no que lhe falta”, diz.

2) Sentimento

De acordo com Gladia, é preciso enfrentar nossos medos. “Sair da zona de conforto leva a pessoa a crescer – e isso, muitas vezes, causa medo. Ir ao encontro do medo é ir ao encontro do crescimento”.

3) Comportamento

Basta que se queira mudar uma perspectiva sobre uma determinada questão que o cérebro acompanha. “Na ciência, essa mudança de comportamento recebe o nome de plasticidade neural. É preciso que a pessoa veja a si mesma como magra, e passe a se comportar de acordo”, explica.

4) Hábito

“Tendo passado por essas etapas, o hábito de magro estará totalmente integrado e adaptado à rotina. Hábito é aquilo que fazemos costumeiramente, sem ter que pensar. Uma vez que os hábitos de magro entram no piloto automático, não é preciso ficar pensando sobre eles. É algo que se fará com naturalidade”, conclui.