Como prevenir crises de rinite?

A doença atinge crianças e adultos, mas pode ser controlada

A rinite alérgica é uma doença não contagiosa que pode se iniciar em qualquer período da vida, mas é pouco frequente antes dos 12 meses de idade. Os sintomas clássicos são crises de espirros, coriza clarinha, coceira no nariz, olhos, ouvidos e a garganta, e entupimento nasal.

No Brasil, o International Study of Asthma and Allergies in Childhood (ISAAC – Estudo Internacional de Asma e Alergias na Infância) mostrou frequência média de 12,5% de rinite entre crianças de 6 e 7 anos e de cerca de 20% em adolescentes com idades de 13 a 14 anos. A incidência progride até a adolescência, fase da vida em que pode afetar até 25% da população.

Hereditariedade

O médico Fábio Kuschnir, da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), no Rio de Janeiro (RJ), explica que, embora seja necessária a associação com fatores ambientais, a rinite tem origem genética. Por isso, não tem cura, mas seus sintomas podem ser controlados. Os principais fatores desencadeantes são os chamados aeroalérgenos domiciliares, como os ácaros, seres microscópicos cujo alimento principal é a descamação da pele humana. Outros importantes aeroalérgenos são pelos de animais domésticos, baratas e fungos. Alimentos, em geral, não causam rinite alérgica.

Prevenção de crises

Existem algumas medidas simples que podem ajudar a manter a rinite alérgica longe:

  • Evitar travesseiro e colchão de paina ou pena. Usar os de espuma, fibra ou látex, sempre que possível envoltos em material plástico (vinil) ou em capas impermeáveis aos ácaros;
  • Limpar o estrado da cama duas vezes por mês;
  • Trocar e lavar roupas de cama e cobertores regularmente com sabão e em altas temperaturas (acima de 55°C). Seque ao sol ou em ar quente.
  • Evitar tapetes, carpetes, cortinas e almofadões. Dar preferência a pisos laváveis, como cerâmica, vinil e madeira. Cortinas podem ser substituídas por persianas ou feitas de material que possa ser limpo com pano úmido.
  • Evitar bichos de pelúcia, estantes de livros, revistas, caixas de papelão ou qualquer outro local onde possam ser formadas colônias de ácaros no quarto de dormir. Substitua-os por brinquedos de tecido, para que possam ser lavados com frequência.
  • Evitar o uso de vassouras, espanadores e aspiradores comuns.
  • Passar pano úmido diariamente na casa ou usar aspiradores de pó com filtros especiais duas vezes por semana.
  • Evitar banhos extremamente quentes e oscilação brusca de temperatura.