Cuidado com a má postura na infância

Algumas posições de sentar e dormir podem acarretar em dores na vida adulta

Muitas das queixas de dor crônica na fase adulta estão diretamente ligadas a maus hábitos posturais na infância.

“Os adultos acham graça quando a criança pequena se senta em forma de W, desconhecendo os riscos que o hábito acarreta. Ao ficar nessa postura, busca-se maior equilíbrio do tronco e estabilização do quadril. Mas, dessa forma, a criança não desenvolve recursos de movimento mais maduros, necessários para outras habilidades”, afirma Lafayette Lage, ortopedista, de São Paulo (SP).

Esse tipo de padrão ainda pode causar um desvio rotacional do fêmur ou da tíbia que, por consequência, leva à condropatia e provoca muita dor no joelho de jovens e adultos. “A melhor coisa a se fazer é desestimular a criança a sentar-se desse jeito, propondo variações de forma natural. A postura ideal é em ‘posição de índio’, com as pernas cruzadas à frente do corpo”, diz o especialista.

Adolescentes

No caso de crianças e adolescentes em fase escolar, Lage chama atenção para a quantidade de horas que os alunos passam sentados em sala de aula, geralmente com o tronco e o pescoço inclinados para frente ou com o corpo quase deitado no assento e o pescoço apoiado no encosto.

“Os adultos não levam isso tão a sério quanto deveriam, e um dos motivos é que a queixa acaba assim que o jovem se levanta e vai praticar atividades esportivas ou recreativas. Mas imagine o que um problema postural que se arrasta por mais de 15 anos de vida acadêmica não é capaz de fazer quando a criança se torna um adulto sedentário e acima do peso ideal”, avalia o médico – chamando atenção, também, para o peso excessivo que os jovens carregam em suas mochilas e que pode comprometer a coluna no médio ou longo prazo.

Barriga para cima

A postura na hora de dormir é outro ponto que merece atenção. “A pior posição é a de bruços, com o pescoço voltado para um dos lados. Imagine passar horas durante a noite com a espinha dorsal fazendo um S. Com o passar dos anos, é praticamente impossível não desenvolver problemas musculares, compressão nos nervos, e até mesmo dor de cabeça”, diz. A posição de barriga para cima é ideal. “O único problema é que induz ao ronco – mas, como isso se transforma realmente num incômodo somente depois dos 30 ou 40 anos, o ideal é acostumar a criança a dormir de barriguinha para cima mesmo, enquanto pode”.