Corpo ativo na gravidez

Saiba como praticar exercícios físicos com segurança
Close Up Of Pregnant Woman Exercising With Weights

Durante a gestação é essencial manter a saúde em dia, e para isso é preciso apostar em uma alimentação equilibrada e (é claro!) na prática de atividades físicas. A questão é que ao falar em treinos muitas mulheres ficam receosas, por medo de afetar o bebê. Para ajudar você a se exercitar com segurança, Pense Leve traz dicas listadas por Roberta Gabriel, educadora física especializada em planejamento de exercícios para gestantes, do Rio de Janeiro (RJ).

Os exercícios| Assim como uma dieta, as atividades devem ser recomendadas de acordo com o perfil do praticante. “Os treinos das mulheres grávidas estão longe de ser uma adaptação de atividades normais com a carga reduzida. Eles têm que ser controlados, sem impacto e visar o aumento do tônus das musculaturas afetadas na gravidez e no parto, como assoalho pélvico, costas e abdômen”, indica.

Os benefícios| “Manter o corpo ativo ajuda a amenizar os desconfortos que a gravidez naturalmente traz como dor nas costas e inchaço. Além de ser importantíssimo para lidar melhor com a onda de hormônios e controlar o surgimento de doenças próprias da gestação como a diabetes gestacional e a hipertensão. Com essa prática é possível melhorar também a autoestima e a qualidade do sono, e aumentar a sensação de bem-estar”, diz Roberta. E mais: as atividades ainda ajudam a preparar o corpo para o momento do parto.

Bebê saudável| De acordo com a educadora física, a prática de exercícios durante a gravidez também beneficia o bebê, pois aumenta a oxigenação e melhora o fluxo de sangue que ajuda na formação dos órgãos.

Atenção aos limites!| Não exagere na intensidade e evite ficar ofegante, isso reduz a circulação de oxigênio, o que pode fazer mal ao feto. “Durante a gravidez, o corpo produz um hormônio chamado relaxina. Ele deixa os ligamentos mais frouxos e a chance de torcer pés, tornozelos e punhos aumentam bastante. Além do desconforto da dor e da demora na recuperação, a queda pode machucar a barriga”, explica.

Frequência | Os exercícios podem ser praticados todos os dias por no mínimo 30 minutos, no entanto, é preciso ficar atenta aos exercícios escolhidos e à intensidade. “As abdominais convencionais de academia, por exemplo, são abolidas porque aumentam a pressão na região e podem desencadear um trabalho de parto prematuro. No lugar, entram esforços adaptados”.

Os melhores exercícios| “Apesar da natação, do pilates e da caminhada serem as mais populares e recomendadas, as futuras mães estão liberadas para quase todas as modalidades, desde que seja recomendada pelo obstetra. Musculação, alongamentos, ioga, ginástica funcional e exercícios aeróbicos são todos bem-vindos”. Atividades com risco de impacto e queda devem ser riscadas da lista de modalidades.