Correr exige cuidado

Oito em cada dez corredores terão algum tipo de lesão no período de um ano

É fato que a corrida se tornou uma das atividades mais praticadas no mundo. Democrática, pode ser realizada numa variedade grande de locais, não exige equipamento e não tem custos. Ainda melhora o sono, ajuda a controlar o colesterol, o peso, entre outros benefícios. Contudo, pode trazer problemas caso a pessoa não esteja preparada para correr, podendo desenvolver lesões e até mesmo agravar doenças cardíacas pré-existentes.

Eduardo Bernardo, médico do esporte do Ifor, hospital especializado em ortopedia da Rede D’Or São Luiz, em São Bernardo do Campo (SP), explica que, para se dedicar à corrida de forma segura, é preciso procurar um profissional para uma avaliação médica.

“Muitos pacientes enxergam a corrida como uma porta de entrada para outras atividades físicas, mas quase sempre estão despreparados para isso, o que pode causar lesões associadas à falta de musculatura, de alongamento, obesidade etc”, observa.

Cerca de 80% dos corredores têm algum tipo de lesão durante um ano, seja distensão muscular, dor articular, o que mostra a importância de uma consulta previa e um acompanhamento médico.

No caso de pacientes obesos, por exemplo, as atividades mais recomendadas são de baixo impacto, como natação ou bicicleta. “Além disso, recomendamos também exercícios para ganho de forçaa muscular, quadríceps, quadril, adutores e abdutores, entre outros”, explica o médico.