Mais repetições ou mais carga?

Especialista esclarece essa dúvida, comum nas academias

Quando se fala em hipertrofia, o que é mais importante: aumentar o número de repetições dos movimentos ou adicionar mais carga? Segundo Alexandre dos Santos Leite, professor da Bio Ritmo, em São Paulo (SP), para se obter o resultado desejado, o mais importante é atingir a fadiga do músculo.

Por isso, a carga deve estar de acordo com o condicionamento. “Uma estratégia é ter como base o mínimo de dez e máximo de 20 repetições. Se o aluno não conseguir chegar a dez movimentos, o peso deve ser diminuído. Já se o número de repetições alcançar 20 sem falhas no movimento, é preciso aumentar a carga”, explica.

Força X resistência

De maneira geral, se o objetivo é ganho de força, deve-se realizar menos repetições com mais carga. Mas se o desejo é a resistência muscular, é preciso diminuir o peso e aumentar o número de repetições. “Em ambos os casos, o músculo sempre deve ser levado à fadiga”, ressalta o especialista. É importante que o professor faça modificações de carga e repetições nos exercícios periodicamente, a cada seis semanas em média, pois permanecer por muito tempo com o mesmo treino diminui os resultados. Outra dica é não realizar treinos com cargas muito elevadas por mais de 3 meses, por isso pode ocasionar lesões.

Repouso muscular

E lembre-se de que, para o alcance do resultado, o descanso do músculo é imprescindível. Por isso não faça exercícios que utilizam a mesma musculatura por dois dias seguidos. “Varie os exercícios para as diferentes partes do corpo durante a semana, dando um dia de pausa entre eles. Uma ideia é intercalar membros inferiores e superiores, por exemplo”, finaliza Alexandre.