Pilates pode controlar diabetes

Modalidade oferece esse e outros benefícios para a saúde

Um estudo mostrou que, após 12 semanas, o pilates melhorou a capacidade funcional e o controle da glicemia (nível de glicose no sangue) em mulheres com média de 65 anos.

Elas foram divididas em dois grupos: um que não praticou a atividade e outro que realizou 3 sessões semanais de 60 minutos cada.

O segundo grupo apresentou uma melhora significativa em fatores ligados ao diabetes tipo 2, à glicemia pós-prandial (medida após as refeições) e à hemoglobina glicosada (média da concentração da glicose no sangue entre 60 a 90 dias), além da capacidade funcional, que gera autonomia na realização de atividades do cotidiano.

Atividade democrática

Para Audrea Lara, profissional de educação física especializada em Ballet Pilates, de São Paulo (SP), é importante inserir uma rotina de atividades físicas no dia a dia. Assim, os níveis de glicose se mantêm adequados, o que é fundamental para pessoas com diabetes.

“Os altos índices de obesidade e sedentarismo são os grandes fatores de risco para o desenvolvimento da doença. O Pilates se mostra benéfico para a saúde como um todo”, afirma.

Outra vantagem da modalidade é não ter grandes restrições quanto à idade e nível de condicionamento físico. “Qualquer pessoa pode praticar, já que é possível a adaptação de acordo com o grau da capacidade funcional e até das dores e limitações de cada corpo”, finaliza a especialista.