Idosos são propensos a doenças renais

Hábitos de vida saudáveis, no entanto, evitam o comprometimento dos rins

A doença renal crônica (DRC) é uma epidemia silenciosa que atinge aproximadamente 195 milhões de pessoas em todo o mundo. Com o aumento da expectativa de vida, vem crescendo também o número de idosos que desenvolvem o risco de doença renal.

Esse percentual pode variar de 30% a 50% em pessoas com mais de 65 anos, segundo dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia. No Brasil, 10% dos portadores da doença têm mais de 65 anos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (Ibge).

Acompanhamento médico é fundamental

O nefrologista Marcos Vieira, presidente da Fundação Pró-Rim, em São Paulo (SP), alerta que algumas condições favorecem o comprometimento dos rins. “As principais são diabetes descontrolada, obesidade e hipertensão arterial. Essas doenças levam à perda progressiva e irreversível das funções renais. Mas também é preciso levar em conta que o rim envelhece naturalmente. Por isso o acompanhamento médico regular em pessoas acima de 60 anos é fundamental”, explica o médico.

Diagnóstico

Para detectar a doença renal crônica, o especialista recomenda realizar periodicamente exames de sangue e de urina. Também é importante medir a pressão arterial, em especial entre a população de risco, como diabéticos, hipertensos, maiores de 65 anos, quem já teve algum episódio de problema cardiovascular, familiares de pacientes que sofrem dos rins, fumantes e sedentários.

Como prevenir?

A seguir, ele cita medidas para preservar a saúde dos rins na terceira idade:

1) Beba água diariamente.

2) Mantenha o peso saudável.

3) Controle o diabetes.

4) Monitore a pressão arterial.

5) Evite o excesso de sal.

6) Tenha uma alimentação equilibrada

7) Pratique exercícios físicos regularmente.

8) Não use medicamentos sem orientação médica.

9) Não fume.

10) Faça exames preventivos de urina e creatinina.

11) Consultar seu médico regularmente.