Idosos X Atividade física

Exercitar-se evita uma série de problemas, mas é preciso cautela antes de começa

A atividade física é uma realidade cada vez mais frequente na terceira idade. Segundo uma pesquisa realizada pela empresa Quórum Brasil, 53% da população idosa afirma que pratica algum tipo de exercício físico. A caminhada foi a atividade mais citada, seguida por academia/musculação, natação, corrida, futebol e ciclismo. O estudo reuniu respostas de mais de 500 pessoas, entre 60 e 80 anos.

Avaliação médica primeiro
Para Sandra Garaude Greven, geriatra do hotel residência Solar Ville Garaude, em Barueri (SP),  a prática de exercícios físicos requer alguns cuidados. “É importante passar por uma avaliação e receber orientação médica antes do início das atividades, respeitando o interesse e as limitações que podem existir”, pontua.  Se realizada corretamente, a atividade física melhora a circulação sanguínea, a capacidade cardíaca e pulmonar e a imunidade. Também auxilia na perda de gordura e no ganho de músculo, evitando, assim, a sarcopenia.

Atividades indicadas
Para a médica, os exercícios mais indicados são os de baixo impacto, já que as articulações são as que mais sofrem desgaste com a idade. Atividades na piscina, onde o peso do corpo é reduzido, são eficientes e proporcionam ganhos a curto prazo. “Exercícios em grupo, com música ou que sejam feitos de forma lúdica, trazem alegria e prazer. Com isso, acabam garantindo a assiduidade do praticante,” completa. É recomendado também buscar o acompanhamento de profissionais competentes e experientes neste público, e locais com estrutura para isso. Existem equipamentos que proporcionam menos impacto e diminuem bastante o risco de lesão, assim como piscinas adaptadas com acessórios que diminuem o risco de quedas e escorregões, por exemplo.