Próteses dentárias elevam a autoestima na terceira idade

Dentista explica como é feita a implantação destas estruturas

Não conseguir comer direito e evitar sorrir são situações comuns entre muitos idosos com a dentição prejudicada. As próteses dentárias, por outro lado, garantem não apenas a melhora da mastigação e uma alimentação mais variada, mas também aumentam a autoestima e fazem com que os idosos sorriam mais.

Não existe uma idade limite para a colocação das próteses, desde que os ossos estejam em condições de sustentá-las e que haja uma boa condição de saúde no geral. “Não recomendo o procedimento para idosos com anemia, diabetes e hipertensão descontroladas. Pacientes renais crônicos, com hepatite, fumantes ou que possuam osteoporose avançada precisam ser avaliados com bastante critério”, diz o dentista Fernando Ferraz, de São Paulo (SP).

Como é o procedimento?
O implante dentário é uma estrutura de titânio colocada cirurgicamente no osso maxilar ou mandibular, para substituir a raiz do dente. Sobre ela, o cirurgião fixa a coroa, que funcionará como dente. “Na maioria dos casos, a integração total do implante ao osso leva cerca de seis meses para os dentes de cima e quatro para os de baixo”, explica Ferraz.

E a recuperação?

Após a cirurgia, é preciso seguir algumas orientações, como aplicar compressa gelada no local até o segundo dia, evitar alimentos duros, tomar sorvete e não beber nada quente ou ácido nos primeiros três dias.

Quanto custa?

O preço pode variar, já que depende da quantidade de dentes, condições da boca, origem dos materiais, honorários do cirurgião dentista e afins. Mas dá para dizer que o valor médio varia entre R$ 2 mil e R$ 5 mil.