Evite contaminações na cozinha

Um pano de pia úmido possui 1 milhão de bactérias a mais do que a tampa de um vaso sanitário de um banheiro público

Você sabia que o local mais contaminado da casa é a cozinha? E de acordo com Roberto Figueiredo, biomédico e microbiologista conhecido como Dr. Bactéria, de São Paulo (SP), o objeto que mais pode ser infectado é justamente a esponja.

“Existem no mercado esponjas com íons de prata incorporados, estes possuem uma ação chamada oligodinâmica, que elimina germes. Não possuindo estes íons prata, obrigatoriamente e diariamente, deverão ser desinfetadas: ferver por 3 minutos, mergulhar em solução de cloro – 2 colheres (sopa) de água sanitária por 1 litro de água) ou lavar, deixar úmida, envolver em papel toalha, colocar no micro-ondas por 2 minutos. De qualquer forma, dura 1 semana”, afirma.

Já segundo Carolina Gouvêa Gonçalves, nutricionista de São Paulo (SP), os alimentos que oferecem maior risco são: saladas cruas, frutas, ovos, e os perecíveis em geral, como peixes, carnes e aves. Para ajudar você a ficar longe desse problema e, consequentemente, evitar intoxicações alimentares, Pense Leve separou algumas dicas para manter a cozinha segura.

Materiais certos | Dr. Bactéria afirma que os materiais mais seguros para utilizar na cozinha são: plásticos isentos de Bisphenol A, vidro e aço inox. Ele afirma que é bom evitar colheres e utensílios de madeira, pois ela é proveniente de uma árvore, ou seja, um ser vivo constituído por células, que formam pequenos buracos e podem servir de esconderijo para germes. “Não existe técnica correta para higienizar um material de madeira. O cloro é inativado por matéria orgânica e o calor não é transferido pela madeira”, comenta.

Mantenha a pia limpa| É importante não deixar água parada, pois ela promove o crescimento de algumas bactérias e a morte de outras. “Estas que morrem vão formando um filme que, como um cimento, vai proteger as bactérias que estão abaixo desse item. O biofilme protege os germes contra a ação de desinfetantes, limpeza mecânica e calor”, explica o biomédico.

Acabe com o pano de pia| “Um pano de pia úmido, possui 1 milhão de bactérias a mais do que a tampa de um vaso sanitário de um banheiro público”, alerta Figueiredo. Ele afirma que é importante não deixar o pano secar sobre a pia, o fogão, a geladeira ou outro lugar. Para limpar o tecido ele indica desinfetar (com água sanitária ou outro desinfetante doméstico) ou ferver o pano por três minutos. Depois, colocar para lavar e passar com ferro bem quente.

Higiene pessoal | Além de lavar as mãos, Carolina afirma que é importante não utilizar adornos (como pulseiras e anéis), manter as unhas cortadas, usar touca de proteção e um uniforme limpo na hora de preparar os alimentos.

Limpeza dos vegetais | “Primeiramente, deve ser realizada a lavagem dos vegetais em água corrente. Logo em seguida, eles devem ser deixados de molho de 15 a 20 minutos no hipoclorito de sódio, com a quantidade indicada pelo fabricante. Por fim, devem ser lavados novamente em água corrente. Importante não ultrapassar a quantidade do produto e de tempo, para não haver contaminação química”, explica a nutricionista.

De olho nos utensílios| Evite manipular vários alimentos e pratos com os mesmos utensílios (por exemplo, cortar o ovo, a carne e a salada com a mesma faca, sem lava-la entre um uso o outro), pois segundo Carolina, isso pode resultar em contaminação cruzada.

Armazenamento | “O armazenamento na geladeira, por exemplo, deve ser feito separadamente, não armazenando junto alimentos crus e já preparados”, afirma a nutricionista. Ela indica que os alimentos preparados devem ficar na parte de cima, os pré-preparados no meio e os crus embaixo.

O que vai para a geladeira | “Os alimentos enlatados enquanto estiverem com a embalagem fechada, não têm necessidade de refrigeração, pois foram processados para que sua conservação seja feita dentro da lata. Assim que abrir a lata, deverá ser armazenada imediatamente na geladeira, durante os dias indicados pelo fabricante, só que em recipientes de vidro ou plástico, sempre tampados”, orienta. Quanto às panelas, ela afirma que elas não devem ir à geladeira. “O ideal é retirar os alimentos da panela, e também armazenar em recipientes de vidro ou plástico, devidamente tampados, e armazenados na primeira prateleira de cima da geladeira”, completa.