Glúten: tirar ou não da dieta?

Nem todo mundo pode ou precisa fazer isso

É cada vez mais comum encontrarmos alimentos livres de glúten. Mas será que eliminá-lo da alimentação é importante? De que forma isso pode influenciar a nossa saúde? Para esclarecer, o nutricionista Rafael Amaral, de São Paulo (SP), listou questões úteis sobre o nutriente.

1) Antes de eliminar o glúten da dieta, é importante procurar um bom nutricionista, realizar a bioimpedância e os demais exames de check-up, para verificar se de fato você é uma pessoa apta a eliminar esse composto proteico da sua alimentação. Vale lembrar que intolerância e sensibilidade são coisas diferentes, mas ambas podem causar fadiga e desconforto intestinal ou estomacal.

2) É comum que quem consuma glúten tenha inchaço abdominal e retenha mais líquido. Esse componente pode irritar o revestimento intestinal e permitir que substâncias indesejadas sigam pela corrente sanguínea, o que pode causar inflamações e outros problemas de saúde.

3) A sensibilidade ou intolerância ao glúten pode desencadear doenças de pele. A mais comum delas é a dermatite herpetiforme, caracterizada por erupções cutâneas, coceiras, vermelhidão e bolhas. Neste caso, procure um dermatologista o mais rápido possível para iniciar o tratamento adequado.

4) O glúten pode provocar o desenvolvimento de doenças autoimunes. A doença celíaca, ou seja, a intolerância ao glúten já é autoimune, mas o paciente celíaco corre risco maior de desenvolver outros tipos de doenças autoimunes. Como o próprio nome diz, elas são causadas pelo próprio sistema imunológico e atacam aspectos naturais do corpo. Neste caso, ao perceber qualquer reação orgânica anormal, procure um médico.