Crie um ambiente seguro para o pet dentro do apartamento

Mesmo em locais pequenos é possível ter um animal de estimação

Morar em apartamento não impede que se adote um animalzinho de estimação. Mesmo em ambientes pequenos, é possível proporcionar um lar confortável e uma vida saudável para ele. A seguir, o adestrador e especialista em comportamento animal Cleber Santos, da ComportPet, em São Paulo (SP), lista dicas de como fazer isso, com amor e segurança.

  1. Organize o ambiente de forma segura.

Instale redes de proteção nas janelas, tanto para quem tem gatos quanto cães. Elas trazem segurança para que possam correr e brincar livremente pelo ambiente. Outra dica é manter pisos sempre limpos. Itens como plantas, alimentos, revistas e sapatos devem ficar fora do alcance do animal.

  1. Crie uma rotina de exercícios.

Para evitar sedentarismo e estresse, é preciso criar uma rotina de atividades. Dentro do próprio apartamento, entretenha-o com brincadeiras. Quem tem cachorro deve, pelo menos duas vezes por dia, levá-lo para passear na rua, para que se exercite e faça suas necessidades. Parques, praças e outros locais abertos também são bem-vindos. O animal precisa gastar energia e também conviver com outros cães. Caso não tenha disponibilidade, vale investir em um day care, ao menos algumas vezes na semana.

  1. Escolha o piso adequado.

A indicação são os pisos de cerâmica, que, além de diminuir os ruídos, são fáceis de limpar. No entanto, evite os muito escorregadios. Além de causarem acidentes, forçam o animal a fazer um esforço muito grande para manter o equilíbrio em tarefas simples, como sentar ou se levantar. Isso pode causar ou agravar um problema chamado displasia coxo-femural, que afeta as articulações e é muito dolorosa.

  1. Reserve um espaço especial

Mesmo que o lar seja pequeno, o pet precisa ter um local específico para si, com seus objetos e acessórios como brinquedos, potes de comida e caminha.

  1. Respeite os vizinhos

Lembre-se de quem nem todo mundo gosta de conviver com animais. É responsabilidade do tutor fazer com que a convivência em áreas comuns do prédio não prejudique a rotina dos demais moradores. Se for preciso, procure um especialista em comportamento animal.