O que fazer ao resgatar um pet das ruas?

Especialista dá dicas de cuidados com o animalzinho  

Você vê um animalzinho na rua e decide resgatá-lo. Mas como fazer isso? A primeira coisa é avaliar o comportamento e não forçar uma aproximação caso esteja assustado ou com medo. Verifique se ele possui algum tipo de identificação – se tiver, o tutor deve ser contatado. Caso contrário, leve-o a um veterinário, que fará uma avaliação do estado de saúde do animal. Se não for possível levá-lo imediatamente após o resgate, dê alimento e água e observe se o pet tem algum tipo de trauma no corpo.

Em casa

Segundo o veterinário Marcio Barboza, gerente técnico Pet MSD Saúde Animal, de São Paulo (SP), em um primeiro momento o animal não deve conviver com outros pets da casa, para evitar o contágio de doenças ou parasitas como pulgas e carrapatos. Além disso, como muitas vezes cães e gatos de rua são vítimas de maus tratos, podem se mostrar ariscos e pouco amigáveis. Por isso, é importante ter paciência com eles. Tente ganhar a sua confiança com a ajuda de petiscos.

Adoção é tudo de bom

O veterinário listou mais alguns cuidados necessários para quem escolhe dar amor e um lar a um pet abandonado. Confira:

Vacinas em dia |É importante seguir o calendário de vacinação para que o animal fique protegido.

Vermifugação | O veterinário deve indicar qual o melhor vermífugo para o pet. A vermifugação é importante para evitar carências nutricionais e o desenvolvimento de problemas de saúde mais graves.

Castração | Se o animal estiver em bom estado de saúde, deve ser castrado para evitar crias indesejadas e ajudar no controle populacional. A operação é indicada mesmo nos casos em que há a intenção de doar o animal após o resgate.

Proteção de longa duração | O combate a pulgas e carrapatos é um cuidado constante, que tem mais garantia de eficiência se for realizado com produtos de longa duração para evitar a transmissão de doenças.

Cuidados com a alimentação | Animais de rua estão habituados a comer alimentos não processados (restos de comida, por exemplo). Por isso, podem estranhar a ração. O veterinário pode recomendar uma transição gradual.

Banho | Se o animal não for banhado pelo veterinário, pergunte ao especialista quando pode fazê-lo e quais produtos usar. Isso porque alguns desses animais têm problemas dermatológicos, que exigem produtos específicos para o tratamento.