Esclareça dúvidas sobre a endometriose

Especialista responde questões obre tratamento e sintomas
médica falando sobre questões ginecológicas e endometriose
Experienced female gynecologist is explaining to a woman the concepts of her disease. She is holding and showing a picture of uterus. Young lady is looking at it seriously

Silenciosa, a endometriose compromete órgãos como: trompas, útero, ovários e o intestino, em especial o grosso. Segundo a Organização Mundial da Saúde, hoje há mais seis milhões de brasileiras com a doença.

O problema compromete a qualidade de vida, tanto no aspecto profissional como emocional e afetivo, visto que as dores muitas vezes tornam a mulher incapaz de desempenhar determinadas atividades. Para entender mais sobre a doença, Marcos Tcherniakovsky, especialista em Vídeo-Endoscopia Ginecológica e Endometriose da Clínica EndoGenics e professor da Faculdade de Medicina da Fundação do ABC, de São Paulo (SP), responde algumas dúvidas sobre a doença.

  1. O que é a endometriose, afinal?
    Quando a mulher menstrua, o corpo libera naturalmente as células que revestiram o útero para receber o óvulo fecundado. Quando essas mesmas células passam a se desenvolver de forma irregular e fora do útero, atingindo órgãos como ovários, trompa, ligamentos uterinos, até intestino e bexiga, ocorre a endometriose.
  1. Como é possível diagnosticar a doença?
    Inicialmente, é necessário que a mulher perceba fortes cólicas menstruais, dor pélvica, dor durante a relação sexual ou, em casos mais graves, a infertilidade. É importante ressaltar que algumas pacientes podem apresentar somente um sintoma, outras a combinação deles. E por sua vez, existem também as assintomáticas, que são diagnosticadas somente após comprovação da presença do endometrioma via ultrassonografia vaginal.
  1. A endometriose tem influência genética?
    Sim, existe a influência de um componente genético. Mesmo sem definição concreta, nota-se uma predisposição familiar no desenvolvimento da doença. Muitos estudos vêm sendo desenvolvidos para encontrar possíveis genes ligados ao aparecimento da endometriose.
  1. Qual é o tratamento indicado para doença?
    O tratamento é feito conforme a gravidade dos sintomas, presença ou não de endométrio, tamanho do cisto, idade da paciente e desejo da mulher em engravidar, podendo ser feito com o uso de remédios hormonais ou cirurgia. Uma das indicações é o uso da pílula anticoncepcional para suspender temporariamente a menstruação, para que durante esse período seja realizado o controle da progressão da doença. Em casos mais avançados, é indicado a videolaparoscopia, cirurgia que tem como objetivo eliminar de uma só vez todos os implantes de tecido endometrial na cavidade abdominal. Porém, a cirurgia é indicada nos casos de suspeita de malignidade, para pacientes acima de 40 anos e em cistos de grandes proporções, uma vez que o procedimento proporcionar grande risco ao comprometimento do tecido ovariano.
  1. A reprodução assistida aumentam as chances de uma mulher com a endometriose engravidar?
    Sim. É uma ótima opção para as mulheres que sofrem com a infertilidade devido à endometriose. Porém, vale ressaltar que mesmo com técnicas de reprodução assistida, pacientes com endometriose têm menor taxa de gravidez do que as que não apresentam a doença, pois a endometriose estabelece um ambiente pélvico inflamatório que compromete a fecundação.
  1. Existe alguma forma de me prevenir da doença?
    A melhor forma é o cuidado preventivo. Realizar os exames anuais de check up e ficar atenta aos possíveis sintomas são sempre as melhores formas de diagnóstico precoce, o que evita a progressão da doença e traz melhores opções de tratamento. Além de ter uma vida saudável, com uma alimentação equilibrada – evitando o álcool e tabagismo, que são grandes vilões dos hormônios femininos – e praticar atividades físicas como a caminhada, que também pode aliviar os sintomas.