Exames periódicos são essenciais para identificar endometriose

Problema afeta a rotina e qualidade de vida da mulher
endometriose
Cheerful young woman is asking advice in her gynecologist. She is sitting at the desk and pointing finger at the computer with uterus picture. Lady is listening to doctor with concentration

Estima-se que mais de sete milhões de mulheres sofrem de Endometriose no Brasil, de acordo com a Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva. Com causa incerta, o problema provavelmente tem surgimento por alterações no tecido que reveste o interior do útero durante o ciclo menstrual, para que o óvulo fecundado possa se implantar.

Caso não ocorra a fecundação, o endométrio descama e o óvulo é eliminado por meio da menstruação. Em alguns casos, as células endometriais podem migrar pelo sentido oposto e cair em outros órgãos da pelve, como trompas, ovários, intestino e bexiga, permitindo a implantação deste endométrio e levando à formação de focos de Endometriose.

Parece complicado e você não faz ideia de como identificar o problema? De acordo com o especialista, os principais sintomas que sinalizam o quadro são: cólicas menstruais fortes, dores na relação sexual, dor pélvica, infertilidade e alterações urinárias e intestinais, ou seja, dor na evacuação e sangramento nas fezes durante o fluxo menstrual.

Existem casos que a endometriose é assintomática, ou seja, não apresenta sintomas.

Estes sintomas podem causar incapacitação nas mulheres em suas atividades rotineiras, devido ao constante incômodo, reduzindo a qualidade de vida e a produtividade. Vale ressaltar que existem casos que a endometriose é assintomática, ou seja, não apresenta sintomas. “O ideal é realizar exames periódicos, pois existem tratamentos eficazes que curam as dores e desconfortos” afirma o especialista.

E quando o assunto é tratamento, existem dois possíveis: o clínico – que promove o alívio da dor, além de tentar prevenir e ajudar no processo de retardar a progressão da doença – e o cirúrgico, que ocorre por meio de uma intervenção cirúrgica chamada Laparoscopia, onde as lesões da doença são removidas completamente, contudo, deixando os órgãos reprodutivos intactos. Caso tenha dúvidas e apresente algum dos sintomas citados acima, não hesite em procurar seu médico. Lembrando que o diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso do tratamento e para a melhora na qualidade de vida e bem-estar da mulher.