Níveis adequados de colesterol garantem uma boa saúde cardíaca

Essa substância pode ser encontrada em alimentos de origem animal

Você sabia que segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) as doenças do coração são as principais causas de morte no Brasil? Só em 2015 foram registrados mais de 246 mil óbitos em decorrência desse tipo de enfermidade. E entre os fatores de risco desses problemas estão o sedentarismo ― que segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (Ibge) é rotineiro em cerca de 46% da população acima de 18 anos ― e o sobrepeso, que afeta aproximadamente 50% dos brasileiros. Isso acontece porque os dois quadros contribuem com a elevação dos níveis de colesterol no sangue. Embora essa substância seja fundamental para o organismo, uma vez que atua na formação das membranas celulares, vitamina D, hormônios e ácidos biliares, a ingestão excessiva dela pode causar doenças cardiovasculares.

De acordo Ibraim Masciarelli Pinto, cardiologista e presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), “para manter os níveis de colesterol em um padrão que não prejudique a saúde, é recomendada a mudança dos hábitos, incluindo a prática diária de atividades físicas, a não ingestão de alimentos ricos em gorduras e industrializados, além do aumento da quantidade de vegetais na dieta”. Ele explica, ainda, que água e os alimentos que contêm fibras, como aveia, grãos, vegetais e hortaliças também auxiliam com o objetivo.

Segundo Cibele Gonsalves, diretora do departamento de nutrição da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), de um modo geral, pessoas com colesterol elevado devem apostar em uma alimentação equilibrada, evitando ou reduzindo o consumo de gorduras saturadas (encontradas principalmente em alimentos de origem animal) e gorduras trans ― presentes em diversos produtos industrializados. Ela ressalta que reduzir o consumo de carboidratos refinados também é essencial, pois esses alimentos contribuem indiretamente com formação de partículas que transportam o colesterol na formação de placas.

“Essas mudanças contribuem para uma vida melhor e mais saudável. O ideal é que as pessoas sejam estimuladas a consumir alimentos integrais ― arroz, pães e massas integrais ―, além do consumo preferencialmente de azeite de oliva e de peixes, como sardinha e salmão (que são ótimas fontes de ômega 3), substituindo a ingestão dos alimentos ricos em gorduras saturadas que prejudicam a saúde do coração”, afirma. Para identificar quadros de colesterol alto, Ibraim destaca que é importante realizar exames para verificar a dosagem dessa substância no sangue.