Previna-se contra as arritmias cardíacas

Exames preventivos e cuidados com a alimentação e a saúde emocional são fundamentais
coração para ilustrar matéria sobre arritmias cardíacas
heart and stethoscope in vintage style

As arritmias cardíacas representam um grande perigo à saúde da população, principalmente nos casos de pessoas que já tiveram um infarto. Isso porque, muitas vezes, elas podem ocasionar paradas cardíacas capazes de desencadear, entre outras complicações, intercorrências fatais, como a chamada morte súbita. Nos Estados Unidos, por exemplo, ocorrem cerca de 450 mil casos de morte súbita por ano. No Brasil, são estimadas entre 250 mil a 350 mil mortes por ano.

Segundo o cardiologista do Serviço de Arritmias Cardíacas do HCor Enrique Pachón, outro tipo de arritmia cardíaca muito comum e capaz de provocar acidente vascular cerebral é conhecida como fibrilação atrial. “O distúrbio, que altera tanto a frequência quanto o ritmo cardíaco, é o mais frequente na atualidade. No Brasil, estima-se que cerca de 2 milhões de pessoas sejam afetadas por esta arritmia”, afirma Pachón.

Os danos causados pelas arritmias podem ser controlados por meio de medidas preventivas. Em primeiro lugar, é preciso ter hábitos saudáveis como reduzir o estresse, ter uma alimentação balanceada, rica em legumes, frutas e verduras, não exagerar no consumo de bebidas alcoólicas e de energéticos, não fumar e praticar atividades físicas regularmente.
“Dar atenção à saúde emocional e, pelo menos uma vez por ano, consultar um cardiologista para realizar exames preventivos também são medidas importantes”, alerta o cardiologista do HCor.

Se a doença for diagnosticada, o cardiologista pode adotar algumas intervenções, como o uso de medicamentos, a ablação (tratamento definitivo com o uso de cateter) ou o implante de marca-passo. “O mais importante é saber que, apesar de complexas e de alto risco, atualmente todas as arritmias têm tratamento, permitindo que os pacientes retornem à sua vida normal em um curto período após o início do tratamento”, esclarece.