Síndrome dos ovários policísticos: sintomas e tratamentos

Problema causa infertilidade em 40% das pacientes e gera muitos incômodos
Mulher com dor por ter síndrome dos ovários policísticos
Menstrual pain of woman on white background

Acne, alopecia (perda de cabelos), hirsutismo – que é o aumento de pelo em áreas de distribuição corporal tipicamente masculina, que ocorre em 75% dos casos –, irregularidade menstrual e obesidade são alguns dos sintomas causados pela síndrome dos ovários policísticos (SOP), endocrinopatia mais comum nas mulheres em idade reprodutiva, que causa infertilidade em até 40% das pacientes.

“O tratamento medicamentoso inicial visa restaurar os níveis de FSH (hormônios) que estão relativamente baixos nas mulheres com síndrome dos ovários policísticos e alguns deles conseguem induzir a ovulação em 75% a 85% dos casos. No caso de falha, tem a opção do uso dos inibidores de aromatase e da fertilização artificial”, explica Larissa Garcia Gomes, diretora da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Regional (SBEM), de São Paulo (SP).

Entre os sintomas, há também um componente metabólico associado ao aumento de risco de diabetes, hipertensão arterial, dislipidemia (taxa de gordura no sangue), apneia do sono, esteatose hepática e potencialmente aumento de risco cardiovascular. O controle adequado das comorbidades é fundamental no manejo dessas pacientes.

“O tratamento vai depender da queixa inicial da pacientes. Se for aumento de pelos e irregularidade menstrual, a primeira escolha são os contraceptivos hormonais orais combinados (CHOC), optando por progesteronas com características antiandrogênicas. A observação das contraindicações ao uso de CHOC é extremamente importante como tabagismo, diabetes de longo prazo e hipertensão arterial mal controlado.

Caso o hirsutismo seja grave, pode se associar drogas com propriedade antiandrogênicas como a espironolactona. Se a queixa é infertilidade, a primeira escolha é o citrato de clomifeno seguido dos inibidores de aromatase. Muitas vezes, recomendamos os centros que tratam a infertilidade na síndrome dos ovários policísticos”, afirma Larissa.