Conheça os sintomas dos distúrbios na tireoide

Alguns, como depressão e irritabilidade, podem se confundir com outras doenças

A tireoide é uma glândula de forma semelhante a uma borboleta, localizada logo abaixo do pomo de Adão. Embora pequena, é importante para o bom funcionamento de vários órgãos como coração, fígado, rins e ovários, pois produz os hormônios denominados T3 e T4, que são como combustíveis das células do nosso organismo.

Problemas na glândula, no entanto, podem fazer com que ela produza esses hormônios em excesso (hipertireoidismo) ou em quantidade insuficiente (hipotireoidismo).

“Estes distúrbios podem afetar a qualidade de vida do paciente, trazendo alterações como ganho ou perda de peso, cansaço e depressão. Mas para avaliar se alguns desses sintomas são causados por uma disfunção da tireoide é necessário realizar exames”, orienta a endocrinologista Laura Ward, de Campinas (SP).

A seguir, ela esclarece alguns mitos e verdades sobre a disfunção da glândula.

Oscilações de peso, suor excessivo e unhas frágeis podem indicar problemas.
Verdade. Além disso, olhos secos e com sensação de areia, e cabelos ressecados que caem frequentemente são outros sinais a serem observados.

O hipotireoidismo pode causar depressão.
Verdade. Tanto a depressão quanto a ansiedade podem indicar um caso de distúrbio na tireoide.

Todo nódulo de tireoide é câncer.
Mito. Um caroço é o principal sinal do câncer de tireoide, mas nem sempre é um tumor maligno. Na maioria dos casos, os nódulos são benignos. Mas uma consulta médica é necessária para avaliação.

Cansaço em excesso sempre indica uma doença da tireoide.
Mito. Apesar de ser um dos principais sintomas, é necessário associar vários fatores para conseguir um diagnóstico definitivo.

Irritabilidade, falta de concentração e perda de memória são sintomas.
Verdade. Alguém que se irrita facilmente sem motivo, tem dificuldade para lembrar das coisas, focar em uma tarefa ou pensar em várias coisas ao mesmo tempo pode estar com distúrbios da tireoide.

Algumas pessoas têm mais probabilidade de desenvolver problemas de tireoide.
Verdade. O hipotireoidismo é mais comum em mulheres entre 40 e 50 anos. Já o hipertireoidismo é mais frequente no público feminino de 20 a 40 anos.