Tudo sobre câncer de fígado

Em estágios iniciais, a doença não apresenta sintomas

Na lista de tumores mais letais do Brasil, está um que costuma passar despercebido pela maior parte da população: o de fígado. Mesmo não figurando entre os dez cânceres mais comuns, é o sexto que mais mata no País.

De acordo com Anelisa Coutinho, diretora da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), em São Paulo, são várias as causas que levam ao surgimento do câncer primário do fígado, como o álcool e vírus de hepatites. Portanto, na maioria dos casos, o tumor já surge em um fígado doente.

“Portanto, uma forma de prevenção é adotar hábitos saudáveis. A detecção precoce, por meio de exames preventivos, é outra medida. Em sua fase inicial a doença, por vezes, ainda é assintomática. Quando se fala em tratamento, os resultados tendem a ser piores com o diagnóstico tardio”, explica.

Categorias diferentes
Os tumores de fígado são divididos em dois tipos: os que surgem no próprio órgão e os metastáticos, que se formam em outras partes do corpo e se espalham através da corrente sanguínea.

No primeiro caso, quatro em cada cinco possuem relação com fatores de risco de fácil prevenção, como o consumo exagerado de álcool e as hepatites C e B, cuja vacina está disponível aos brasileiros no SUS. “Ainda assim, 14% da população ignora que vacinas podem evitar o desenvolvimento da doença, e um terço não sabe que bebidas alcóolicas podem causar câncer. Seriam formas simples de evitar complicações graves à saúde”, explica Anelisa.

Outra característica dos deste tipo de tumor é que ele é muito mais comum em homens, com três em cada quatro casos. Entretanto, mesmo constituindo um grupo de risco relevante, 16% não sabem da importância da vacina contra hepatite na luta contra o câncer e 53% consome álcool. Desses, 24% bebe pelo menos duas vezes por semana.

Metástase
Já o câncer de fígado metastático tem maior incidência do que os tumores que surgem diretamente no órgão, e tem relação com outros tipos de cânceres, como mama, pulmão, colorretal, pâncreas, esôfago e estômago. “Essa grande prevalência das metástases no fígado é também decorrente do fato de ser um órgão amplamente irrigado. O sangue serve como veículo para as células cancerígenas, a partir dos tumores originários”, explica a médica.

Prevenção
De modo geral, é importante levar a vida de maneira saudável, evitando fumar, alimentando-se adequadamente, fazendo exercícios, não consumindo álcool em excesso, tomando as vacinas recomendadas e disponíveis no SUS, indo ao médico e realizando exames preventivos.